Quarta-feira, 22 de Abril de 2015

MISTÉRIOS DA TERRA

Adrian Chesterman 1955 - Tutt'Art@ (21).jpg

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Adrian Chesterman

 

 

“Quando o primeiro Dia da Terra foi realizado, em 1970, os geólogos ainda estavam a investigar teorias sobre placas tectónicas, o modelo que explica como a Terra se formou. Mais de 40 anos depois, muitos enigmas permanecem quando se trata do nosso planeta. Aqui estão algumas das perguntas para as quais ainda não existe resposta:

 

 

 

Porque existe água na Terra?

 

 

Os cientistas acreditam que a Terra era uma rocha seca depois que se fundiu, 4,5 bilhões de anos atrás. Então, de onde é que este produto químico essencial, o H2O, vem? Talvez um sistema de entrega interestelar, na forma de impactos enormes, cerca de 4 bilhões de anos atrás seja o responsável. Atacada por asteroides de gelo, a Terra poderia ter reabastecido seus reservatórios de água durante o período conhecido como “Intenso Bombardeio Tardio”. Ainda assim, os primórdios da água da Terra estão envoltos em mistério, porque há pouca evidência deste período.

 

 

 

O que acontece no núcleo da Terra?

 

 

Material de lendas e mitos, o núcleo da Terra há muito tempo fascina escritores, bem como cientistas. Por um tempo, a composição do núcleo inacessível da Terra era um mistério resolvido… pelo menos na década de 1940. Usando meteoritos como modelos, os cientistas aferiram o equilíbrio original dos minerais essenciais do planeta e notaram o que estavam faltando.

O ferro e o níquel ausentes na crosta da Terra devem estar no núcleo, supuseram. Contudo, medições de gravidade na década de 1950 revelaram que essas estimativas estavam incorretas. O núcleo é muito leve.

Atualmente, os pesquisadores continuam a sugerir quais os elementos responsáveis pela pouca densidade sob os nossos pés. Continuam intrigados com as reversões periódicas no campo magnético da Terra, que são geradas pelo fluxo de ferro líquido do núcleo externo.

 

 

 

Como se formou a lua?

 

 

Será que uma colisão titânica entre a Terra e um protoplaneta do tamanho de Marte formou a lua? Não há um consenso universal sobre essa hipótese do grande impacto, porque alguns detalhes nãocoincidem. Por exemplo, a composição química dos dois corpos rochosos é tão parecida que ela sugere que a lua nasceu a partir da Terra, e não de um corpo separado.

Outros modelos sugerem que a jovem Terra, girando muito rápido, poderia ter arremessado uma rocha derretida durante o impacto para formar uma lua quimicamente semelhante.

 

 

Como surgiu a vida?

 

 

A vida foi fabricada na Terra ou surgiu no espaço interestelar e chegou aqui em meteoritos? Os componentes de vida mais básicos, tais como aminoácidos e vitaminas, foram encontrados em grãos de gelo dentro de asteroides e nos ambientes mais extremos da Terra.

Descobrir como essas peças se combinaram para formar a primeira vida é um dos maiores obstáculos da biologia. E vestígios fósseis diretos de primeiros habitantes da Terra – que eram, provavelmente, bactérias primitivas que se alimentavam de rochas – ainda não foram encontrados.

 

 

De onde veio todo o oxigénio?

 

 

Devemos a nossa existência a cianobactérias, criaturas microscópicas que ajudaram a transformar radicalmente a atmosfera da Terra. Elas bombearam oxigénio como resíduo e encheram os céus com esse gás essencial pela primeira vez cerca de 2,4 bilhões de anos atrás. Entretanto, rochas revelam que os níveis de oxigénio subiram e desceram como uma «montanha-russa» durante 3 bilhões de anos, até estabilizarem cerca do Período Cambriano, aproximadamente 541 milhões de anos atrás.

Então, só as bactérias influenciaram no ar ou houve outro fator que contribuiu? Compreender a mudança para uma terra rica em oxigénio é um fator-chave para a decodificação da história da vida em nosso planeta.

 

 

O que causou a explosão cambriana?

 

 

A aparição da vida complexa no Período Cambriano, após 4 bilhões de anos de história da Terra, marcou uma viragem total. De repente, havia animais com cérebros e vasos sanguíneos, olhos e corações, todos evoluindo mais rapidamente do que em qualquer outra era planetária conhecida até hoje. Aumento nos níveis de oxigénio, pouco antes desta explosão, é uma das hipóteses que já tentaram explicar o fenómeno, mas outros fatores podem exemplificar o surgimento misterioso dos animais, como a corrida entre predadores e presas.

 

 

Quando surgiram as placas tectónicas?

 

 

Placas finas de crosta endurecida batendo sobre a superfície da Terra fazem belos entardeceres na montanha e violentas erupções vulcânicas. No entanto, os geólogos ainda não sabem quando aconteceu o primeiro impulso, já que a maioria das evidências foi destruída.

Apenas um punhado de grãos minerais minúsculos chamados zircões sobreviveram 4,4 bilhões de anos de história. E estes materiais dizem aos cientistas que as primeiras rochas continentais já existiam. Porém, as evidências do início das placas tectónicas são controversas e os geólogos ainda se perguntam como a crosta continental se formou.

 

 

Algum dia poderemos prever terramotos?

 

 

Na melhor das hipóteses, modelos estatísticos podem adiantar uma previsão da probabilidade futura de terramoto, semelhante aos peritos do tempo que alertam para a chegada de chuva. Contudo, isso não impediu as pessoas de tentarem prever quando o próximo vai acontecer – sem sucesso. Mesmo a maior das experimentações falhou em 12 anos, no qual os geólogos previram um terremoto em Parkfield, na Califórnia, em 1994, e criaram instrumentos para capturar a vinda do tremor. O terramoto real atingiu a região em 2004.

Um dos maiores obstáculos é que os geólogos ainda não entendem por que os terramotos começam e cessam. Mas houve avanços na previsão de tremores e terramotos provocados pelo homem, como os ligados a poços de injeção de águas residuais.”

 

 

 

Nota – Fonte aqui.

 

 

 

CAFÉ DA MANHÃ

 

 

 

publicado por Maria Brojo às 11:03
link do post | Veneno ou Açúcar? | favorito
Terça-feira, 18 de Março de 2014

SOBRE OS ECOS DO "BIG BANG" E DO BENFICA

 

Autor que não foi possível identificar

 

“Físicos norte-americanos anunciaram hoje a deteção direta de ondas gravitacionais primordiais, os primeiros ecos do "Big Bang", que marcou o nascimento do Universo, há cerca de 14 mil milhões de anos.”

 

Divulgada a notícia por inúmeras fontes na «rede», na imprensa, nas rádios e televisões, injusto mencionar uma só. Melhor que enredos de jargões científicos vídeo que, numa perspetiva simples, conta a história do intrigante acontecimento. Às tantas, foi o eco do “Big Bang” disfarçado de vento que ontem fez voar o Benfica (…)

 

Nota - texto na íntegra aqui. O vídeo abaixo não é o exibido  no "Escrever é Triste". Ambos interessantes, diferentes.

 

CAFÉ DA MANHÃ

 

publicado por Maria Brojo às 09:35
link do post | Veneno ou Açúcar? | favorito
Sábado, 14 de Setembro de 2013

“VAMOS A ELES! DEUS EXISTE!”

 

Marteen Koopman

 

O ceticismo convicto é uma maçada. Como pode alguém conhecer o quer que seja se não acredita em nada? O cético descrê das religiões, da filosofia ou da ciência. Duvida até do próprio ceticismo. Perde a magia que o pensamento científico tenta desvendar – no mistério à espera de entendimento, reside o fascínio da Ciência. Quando erra, evolui.

 

As religiões tradicionais permanecem estáticas por se afirmarem infalíveis, assim aumentando a distância dos homens. Ilustração: arredar um divorciado dos sacramentos - da comunhão, da possibilidade de apadrinhar casamentos ou batismos – desmente o preceito católico da infinita tolerância para com o próximo.

 

Li, não lembro onde, dispensarem os cientistas do MIT construir catedrais e reuniões ao domingo para louvarem a teoria da relatividade ou o Big Bang. Simplesmente discutem teses e a respetiva validade. Para um cético, alguns dos rituais religiosos são mecanismos de auto motivação para preservar a fé. Semelhante à dos jogadores de futebol que proclamam antes de entrar em campo: "Vamos a eles! Deus existe, hã! A vitória é nossa! Deus existe!". Tivessem certeza e não gritariam tanto.

 

Um cínico, em muito semelhante ao cético, vai mais longe: “o misticismo dos menos abastados e dos idosos existe pela falta de recursos ou de esperança em vida útil para curarem frieiras e artroses. Do mesmo modo, um rico na Igreja é aberração por violar em simultâneo princípios católicos e materialistas – os escandalosamente abastados só requerem salvação das ex-mulheres e dos advogados.”

 

Relevai-lhes, Senhor, a condição de ateus. No mínimo, são genuínos e têm piada.

 

CAFÉ DA MANHÃ

 

publicado por Maria Brojo às 09:32
link do post | Veneno ou Açúcar? | favorito
Domingo, 9 de Dezembro de 2012

COSMO, PAREDE E MAR

 

 

 

 

Pintor italiano, Franky o petit nom. Em Portugal há décadas, tem português sem defeito. O discurso profundo e fluente abrange literatura e áreas científicas. É homem que estuda o cosmo e o representa na pintura. O big bang, os planetas, as conjugações astrais, a Toscânia onde nasceu, o mar e o hobby, a pesca, figuram em obras aliciantes. Canta e toca como poucos – sensibilidade tamanha não podia resumir-se a única forma de arte. Na Parede, onde vive, é privilégio acesso ao seu ateliê. Depois, o visitante continua o encantamento perdendo no horizonte marítimo o olhar.

 

 

 

CAFÉ DA MANHÃ

 

publicado por Maria Brojo às 07:57
link do post | Veneno ou Açúcar? | ver comentários (2) | favorito
Segunda-feira, 22 de Outubro de 2012

VAMOS A ELES! DEUS EXISTE!

Nguyen Dinh

 

O ceticismo convicto é uma maçada. Como pode alguém conhecer o quer que seja se não acredita em nada? O cético descrê das religiões, da filosofia ou da ciência. Duvida até do próprio ceticismo. Perde a magia que o pensamento científico tenta desvendar – no mistério à espera de entendimento reside o fascínio da Ciência. Quando erra, evoluiu. As religiões tradicionais permanecem estáticas por se afirmarem infalíveis, assim aumentando a distância dos homens. Uma ilustração: arredar um divorciado dos sacramentos - da comunhão, da possibilidade de apadrinhar casamentos ou batismos – desmente o preceito católico da infinita tolerância para com o próximo.

 

Li, não lembro onde, dispensarem os cientistas do MIT a construção de catedrais e reuniões ao domingo para louvarem a teoria da relatividade ou o Big Bang. Simplesmente discutem teses e a respetiva validade. Para um cético, alguns dos rituais religiosos são mecanismos de auto motivação para preservar a fé. Semelhante à dos jogadores de futebol que proclamam antes de entrar em campo: "Vamos a eles! Deus existe, hem! A vitória é nossa! Deus existe!". Tivessem a certeza e não gritariam tanto.

 

Um cínico, em muito semelhante ao cético, vai mais longe: “o misticismo dos menos abastados e dos idosos existe pela falta de recursos ou de esperança em vida útil para curarem frieiras e artroses. Do mesmo modo, um rico na Igreja é aberração por violar em simultâneo princípios católicos e materialistas – os escandalosamente abastados só requerem salvação das ex-mulheres e dos advogados.”

 

Relevai-lhes, Senhor, a condição de ateus: são genuínos e têm piada.

 

CAFÉ DA MANHÃ

 

publicado por Maria Brojo às 10:38
link do post | Veneno ou Açúcar? | favorito
Quarta-feira, 31 de Março de 2010

A PARTÍCULA DE DEUS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Autor que não foi possível identificar

 
Piscou uma. Desilusão. Recomeçou. Piscou duas. Ansiedade no compasso de espera. À terceira, foi de vez. O LHC (Large Hadron Collider) respondeu. Os protões, como doudos, iniciaram colisões. Tantas que a maior concentração de energia alcançada pelo homem foi atingida: 7 teraelectrão-volt (TeV). Objectivo: recriar os primeiros microssegundos após o Big Bang, a misteriosa explosão que terá gerado o Universo. Entender, enfim, a origem da massa das partículas elementares e através da luminosidade gerada observar o bosão de Higgs, a ‘partícula de Deus’. Somente ela validará o actual modelo de átomo e a explicação conhecida da estrutura da matéria. Somente ela confirmará o sentido da minha longa divulgação científica. E porque trabalhamos com modelos fundamentados em observações do quase invisível e muitas deduções, a humildade é condição única para, alegremente, arrepiar caminho.

 

Cento e setenta e cinco metros abaixo do solo, os cientistas e técnicos envolvidos no projecto celebraram a rotação dos feixes de protões e núcleos de chumbo no maior acelerador de partículas do mundo. Percorrem, em menos de um ai, os vinte e sete quilómetros do perímetro circular localizado na fronteira franco-suíca, perto de Genebra. A parte do planeta dada a crendices receia esta experimentação. Que, ao competir com a sabedoria divina como a única energia/origem do Universo, acarrete o fim do mundo.

 

Quem, por medo ou esperança nesta marca histórica do homem, pretender seguir os progressos logrados no CERN, pode fazê-lo em http://public.web.cern.ch/public/ ou em http://webcast.cern.ch/lhcfirstphysics/. Ontem, debrucei-me nesta última janela.

 

CAFÉ DA MANHÃ

 

publicado por Maria Brojo às 12:56
link do post | Veneno ou Açúcar? | ver comentários (4) | favorito
mariabrojo@gmail.com

Recomendo:

Exposição de Artes Plásticas - Conceito

Page copy protected against web site content infringement by Copyscape

últ. comentários

continuo a espera de voltar a ler-te
decidi ontem voltar a ser blogger, decidi voltar a...
Autor que não foi possível identificar: Andrew Atr...
De férias , para sempre. Fechou a loja... :-(
Curta as férias querida...Beijos
ABANDONODAVID MOURÃO FERREIRAPor teu livre pensame...
Ainda?Isso aí no Inverno é gelado ;-)
Como a Noite é Longa!Como a noite é longa! Toda a ...
vc e muito gostosa que ti comer

Julho 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

pesquisa

links

arquivos

tags

todas as tags

subscrever feeds