Segunda-feira, 15 de Junho de 2015

TULIPAS DA ALMA

Mike Bougher, autor que não foi possível identificar

 

São tulipas. Num ramalhete, verdes finos, outros carnudos, tons de rosa e de roxo desmaiados - tons pastel, digo.  Oferta de gente linda que partilha comigo o trabalho/gosto. E quem não gosta de receber flores como símbolo de afectos construídos com verdade transparente nos gestos, entre eles a transmissão de saberes jamais arrogante, mas disposta a com todos aprender?

 

Porque o conhecimento não livresco é adquirido com aqueles onde descortinamos valias sábias, nos povoados grandes ou pequenos, do pastor ao idoso na fila do Centro de Saúde ou do autocarro, o segredo é conversa atenta. Quem nos outros concentra interesse, intui num ai quais as pessoas com muito para ensinar. A curiosidade encomenda o resto: entabular conversa, ouvir muito e pouco fala. E as pessoas escolhidas optam entre o silêncio e a dádiva das experiências relatadas. Também o silêncio permite aprendizagens e motiva questões: porque se recolhe no mutismo, porque alarga as fronteiras entre o ser e o dos demais. Se bem observarmos, alguns afastam-se e procuram espaço onde corpos alheios estejam afastados. Incapacidade de partilha social ou necessidade básica de preservar recolhimento individual?

 

Sou mulher viciada no perscrutar, não no estereotipado estilo da porteira ou da vizinha que o alheio vigia por detrás das cortinas. Interessam-me almas sem que me atreva a julgá-las. Entendê-las, sim. Por isto não me distraio de quem comigo se cruza ou segue ao lado ou à frente. Daqui as tulipas frescas onde o meu olhar se regala.

 

CAFÉ DA MANHÃ

 

publicado por Maria Brojo às 08:00
link do post | Veneno ou Açúcar? | favorito
2 comentários:
De ajudante de aprendiz de feiticeiro a 16 de Junho de 2015 às 12:38
Afinal nem só o sr. diabo e os sr.s padres se interessam por almas.Tenho uma caixa de fósforos com uma data delas dentro, mas tenho receio de a abrir e elas escaparem-se não sei para onde.O que devo fazer?

A fotografia tem a magia de congelar no tempo a frescura das flores. A pintura digital do rosto que se assemelha a MB faz o mesmo, mas o sacana do relógio não pára. Será que o tempus não gasta as almas.
De proscrit a 18 de Junho de 2015 às 12:02
Para envolver a gravura digital de Mike Bouger vale a pena escutar esta melodia de Alain Barriére

https:/ www.youtube.com /watch?v=9cieEFXxNpw

Comentar post

mariabrojo@gmail.com

Recomendo:

Exposição de Artes Plásticas - Conceito

Page copy protected against web site content infringement by Copyscape

últ. comentários

continuo a espera de voltar a ler-te
decidi ontem voltar a ser blogger, decidi voltar a...
Autor que não foi possível identificar: Andrew Atr...
De férias , para sempre. Fechou a loja... :-(
Curta as férias querida...Beijos
ABANDONODAVID MOURÃO FERREIRAPor teu livre pensame...
Ainda?Isso aí no Inverno é gelado ;-)
Como a Noite é Longa!Como a noite é longa! Toda a ...
vc e muito gostosa que ti comer

Julho 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

pesquisa

links

arquivos

tags

todas as tags

subscrever feeds