Domingo, 2 de Outubro de 2011

A CASA DOS AFECTOS

 

 

A chair is still a chair
Even when there's no one sittin' there
But a chair is not a house
And a house is not a home
When there's no one there to hold you tight
And no one there you can kiss goodnight
Woah girl”

 

Por muito que seja limpa e reconstituída uma casa não é um lar, como escreveu Luther Vandross, se os afectos não a habitarem. Mas esta foi e é lugar de almas que ama(ra)m, por isso lar. As paredes vetustas rogam pintura dentro e fora que honrem amados feitos pó na terra e que também fizeram da menina descendente única em três gerações a mulher escriba menor. Não recusa o desafio - vai adiante e tenta reconstituir com pertences esquecidos e sobras do esplendor de outrora sítio que a acolha e às novas gerações. Durante as sucessivas barrelas, a cada objecto seu mimo pelas memórias/doçuras que, sendo impressivas, o tempo não apaga.

 

 

Na saleta, há trinta anos 'jardim de Inverno', desapareceram avencas, espargos, todos com folhagem rendilhada, cadeirões almofadados onde eram fruídas partes de manhãs desde o pequeno-almoço até à leitura dos diários entregues pelo carteiro. Luz a rodos mesmo se a chuva ou a neve ocultavam o Sol. Hoje, sobre a mesa, lenço com o qual me enfeitava nas brincadeiras de criança só. No lado oposto, escritório e quarto abrem portadas à montanha e à aldeia incrustada no vale estreito. Baú e mala de viagem, testemunham o regresso da ‘América’, por navio, do bisavô materno, bonito, aventureiro, sonhador. Que encheria o «malão» de ferragens douradas, azul como a mala rígida e também semelhante nos latões/fechaduras? _ Presentes para as filhas já adultas e solteiras como restariam até ao final? Mais malas existem conservando como as outras em papel colado o nome do proprietário, camarote e companhia de navegação. Deste bisavô recordo descrições de Nova Iorque onde viveu décadas, da Grande Depressão, do renascer dum país e do seu povo. De parte do mundo com ele.

 

 

Chaves tantas! Após tentativas várias, foi impossível reconhecer qual pertence a que porta. Ao monte, esperam serem devolvidas à dona. Curioso encontrar dois objectos em cerâmica, iguais, e que comportam quatro velas. Não possuo recordação deles. Símbolos devem ser, mas de quê? Numa parede, tem destaque retrato imperfeito - a desproporção das figuras é notória. Abandonei pruridos artísticos e deixei ficar a tela, prova de amor aos retratados. Pintada quando iniciei os óleos e do «lambidinho» não passava. Se retratos a carvão me ocuparam idos da adolescência e juventude com relativo êxito perante olhares queridos, neste falhei, conquanto espíritos benevolentes afirmem os rostos tal qual. Não aprovo. Para melhor e em muito diferentes.

 

 

Casa de afectos, de rendas e bordados até na despensa. Das arcas, ou não contabilizasse oito no total, a maioria aguarda carícias da cera. Semana e meia revelou-se curto intervalo para do almejado cuidar. À cozinha, após limpeza, foi dado jeito respeitoso, todavia simples. Mais há a fazer em honra das preciosidades gastronómicas ali cozinhadas e merecedoras dos aplausos da família e dos bispos e dos párocos convidados para as cerimónias religiosas nas festas anuais do São Cosme e de São Damião. A romaria era linda de ver - misturava sagrado e profano em amável coabitação, trazia gentes de fora e os mordomos sempre respeitaram as tradições de Aldeias. Para dela obter ainda melhor panorama é preciso subir até ao segundo andar.  

 

 

Das cinco divisões cimeiras, somente duas, a Este, permitem aceder a imagem que a retina não perdoa. Parte da casa que mais foi esventrada de bens para moradia com cinquenta anos a mil e poucos metros de afastamento. Dos armários biblioteca, antigamente no escritório, resta um. Na saleta de costura, revistas de croché, de ponto de cruz, de figurinos impressos que remontam a meados do dezanove, máquina que oleei e ficou pronta a uso. Num dos quartos, a simplicidade esconsa, o móvel em cujas gavetas pontificavam ‘santinhos’, imagens pias, rosários. Nos gavetões, vestidos e combinações de seda, peles e veludos. Todos enviados para a lavandaria, muito recomendados ou não sejam devolvidos como farrapos sem préstimo. Perfumes e retratos e bijutaria em taças retirados ou para o lixo, os primeiros, para restauro, os segundos, para lavar, os enfeites. Duas camas, mesinha de cabeceira, conjunto de porcelana composto de lavatório, balde jarro, recipiente fundo cujo nome ignoro e suporte em ferro preenchem o espaço restante. Contíguo, o quarto do bisavô americano. Mais à frente, dois esconsos – rouparia e arrumo destinado a compotas, fruta, e outros bens preciosos da terra consumidos durando a época pobre do ano. Ao fundo, a janela por onde me esgueirava e descia pelo telhado para a liberdade do jardim enquanto as tias e o tio padre bisavô cumpriam o ritual da sesta. Quantas telhas partidas na descida e hoje me dariam arranjo para cobrir áreas em que faltam! Assim, restou-me comprar parecidas por daquelas ser difícil obter iguais. Mas não desisto: irei à cata de casas em remodelação que as possuam. Lugarejo que seja, mal dele tenha notícia ou vislumbre, ali me terá mais feliz do que na Avenue Foch ou na George V.

 

CAFÉ DA MANHÃ

 

publicado por Maria Brojo às 10:48
link | Veneno ou Açúcar? | favorito
3 comentários:
De c a 2 de Outubro de 2011
boas memórias ;-)

*bom domingo*

à volta dos ditos

http://www.lugardosafectos.pt/

http://www.casadosafectos.com/casa.html
De Cão dos afectos a 2 de Outubro de 2011
Muito bem... e parabéns .
E como reward aqui tem o presente escrito tocado e cantado...
Keep on truckin!


"The Ballad Of Frankie Lee And Judas Priest"

Well, Frankie Lee and Judas Priest
They were the best of friends
So when Frankie Lee needed more money one day
Judas quickly pulled out a roll of tens
And placed them on a footstool
Just above the plotted plain
Sayin', "Take your pick, Frankie Boy
My loss will be your gain".

Well, Frankie Lee, he sat right down
And put his fingers to his chin
But with the cold eyes of Judas on him
His head began to spin
"Would ya please not stare at me like that", he said
"It's just my foolish pride
But sometimes a man must be alone
And this is no place to hide".

Well, Judas he just winked and said
"All right, I'll leave you here
But you'd better hurry up and choose
Which of those bills you want
Before they all disappear"
"I'm gonna start my pickin' right now
Just tell me where you''ll be".

Judas pointed down the road
And said, "Eternity"
"Eternity ?" said Frankie Lee
With a voice as cold as ice
"That's right", said Judas Priest, "Eternity
Though you might call it Paradise"
"I don't call it anything"
Said Frankie Lee with a smile
"All right", said Judas Priest
"I'll see you after a while".

Well, Frankie Lee, he sat back down
Feelin' low and mean
When just then a passing stranger
Burst upon the scene
Saying, "Are you Frankie Lee, the gambler
Whose father is deceased ?
Well, if you are
There's a fellow callin' you down the road
And they say his name is Priest".
"Oh yes, he is my friend"
Said Frankie Lee in fright
"I do recall him very well
In fact, he just left my sight"
Yes, that's the one", said the stranger
As quit as a mouse.
"Well, my message is, he's down the road
Stranded in a house".

Well, Frankie Lee he panicked
He dropped ev'rythimg and ran
Until he came up to the spot
Where Judas Priest did stand
"What kind of a house is this", he said
"Where I have come to roam ?"
"It's not a house", said Judas Priest
"It's not a house, it's a home".

Well, Frankie Lee he trembled
He soon lost all control
Over ev'rything which he had made
While the mission bells did toll
He just stood there starring
At that big house as bright as any sun
With four and twenty windows
And a woman's face in ev'ry one.

Well, up the stairs ran Frankie Lee
With a soulful bounding leap
And foaming at the mouth
He began to make his midnight creep
For sixteen nights and days he raved
But on the seventeenth he burst
Into the arms of Judas Priest
Which is where he died of thirst.

No one tried to say a thing
When they carried him out in jest
Except of course, the little neighbor boy
Who carried him to rest
And he just walked along alone
Whit his guilt so well concealed
And muttered underneath his breath
"Nothing is revealed".
Well, the moral of the story
The moral of the song
Is simply that one should never be
Where ones does not belong
So when you see your neighbor carryin' somethin'
Help him with his load
And don't go mistaking Paradise
For that home across the road.

http://youtu.be/ZsLz8L_HfFE

De Cão do Nilo a 2 de Outubro de 2011
And a room is not a house and an house is not a home....

Musca de bater bota com perdigota....
http://youtu.be/azPuqNiNNh0

Comentar post

últ. comentários

Olá. Posso falar consigo sobre a sua tia Irmã Mar...
Olá Tudo bem?Faço votos JS
Vim aqui só pra comentar que o cara da imagem pare...
Olá Teresa: Fico contente com a tua correção "frei...
jotaeme desculpa a correcção, mas o rei freirático...
Lembrai os filhos do FUHRER, QUE NASCIAM NOS COLEG...
Esta narrativa, de contornos reais ou ficionais, t...
Olá!Como vai?Já passaram uns meses... sem saber de...
continuo a espera de voltar a ler-te
decidi ontem voltar a ser blogger, decidi voltar a...

Julho 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

pesquisa

links

arquivos

tags

todas as tags

subscrever feeds