Quinta-feira, 20 de Outubro de 2011

COMO A TERRA, O SOL, A GALÁXIA

Autor que foi impossível identificar

 

É conhecido o aforismo de Santo Agostinho: «Se não me perguntarem o que é o tempo, então eu sei o que é o tempo; mas se me perguntarem o que é o tempo, então eu não sei o que é o tempo.» E há quem investigue o tempo e dele não se farte, querendo saber mais. Descrevem-no como tempo dinâmico, um tempo onde o futuro é radicalmente diferente do passado n o melhor e no pior.

Para Einstein o que era o tempo? Uma «ilusão, ainda que persistente», afirmou. Assim é. Para quem na ciência faz vida, a distinção entre passado, presente e futuro é ilusão teimosa. Não há mecânica, e nem importa se clássica ou quântica, capaz de orientar a seta do tempo. Ele existe, determinado, sem que sejam conhecidos o como e o porquê. E se permite que o meçam, continua, matreiro, a escorrer por entre os dedos.

Em que ficamos? Existe ou não tempo? Olhando para as propostas dos criadores de moda a cada estação, para a progressão de valores, hábitos e conhecimentos, o tempo é já passado no momento julgado actual. Porém, existem marcos impressivos, em particular e mais do que todos, as experiências radicais do nascimento e da morte. Nascemos e morremos. Como a Terra, o Sol e a galáxia no sentido em que, apesar de inanimados, um dia nasceram e noutro irão «morrer».

Talvez seja chegado o tempo de novas alianças, antes estabelecidas, algumas renegadas na história dos homens. Enlaçar, em harmonia, as sociedades, os seus saberes e a aventura da natureza. Até ao fim do tempo. O nosso.

 

CAFÉ DA MANHÃ

 

Sugestão de She.

 

publicado por Maria Brojo às 08:24
link do post | Veneno ou Açúcar? | favorito
2 comentários:
De Veneno C. a 20 de Outubro de 2011 às 12:59
Não (me) foi possível identificar o autor: tempo diferente?

Autor desconhecido (por mim): tempo real?

Sem legenda: que tempo seria?

"O Tempo pergunta ao tempo..."

Nunca um dia a Terra, o Sol, a Galáxia nasceram ou morrerão: evoluem...

O tempo é como o espaço: onde o infinito grande ou pequeno se perde quando não serve para os usos que deles sabemos fazer.

Quanto a modas e alianças, não há grande tempo pela frente, talvez um "vira-o-disco-e-toca-o-mesmo"?

«O conceito de "século" é uma invenção européia decorrente do sentimento de destino coletivo manifesto nas práticas de sociedades industriais que se percebem como históricas. Esse conceito vem substituir, na noção e experiência do tempo histórico, linear, sucessivo, contínuo e progressivo, a noção de tempo mítico, circular, recorrente e eterno, típico das práticas sociais agrárias e protopólicas. É justo a partir da época industrial (especialmente a partir da segunda metade do século XIX) que se consolidam e se tornam freqüentes os centenários, as efemérides, as exposições universais, os espetáculos e os discursos.»

http://www.youtube.com/watch?v=SF0-Ajl1Voc

http://www.youtube.com/watch?v=kG9DxZAx1Ts
De she a 21 de Outubro de 2011 às 10:58
Obrigada, Teresa, só agora reparei na legenda :) a utopia e o sonho que nos guie a todos para que avancemos pelo Bem, nem que sejam só uns passitos :) abraço

Comentar post

últ. comentários

Lembrai os filhos do FUHRER, QUE NASCIAM NOS COLEG...
Esta narrativa, de contornos reais ou ficionais, t...
Olá!Como vai?Já passaram uns meses... sem saber de...
continuo a espera de voltar a ler-te
decidi ontem voltar a ser blogger, decidi voltar a...
Autor que não foi possível identificar: Andrew Atr...
De férias , para sempre. Fechou a loja... :-(
Curta as férias querida...Beijos
ABANDONODAVID MOURÃO FERREIRAPor teu livre pensame...
Ainda?Isso aí no Inverno é gelado ;-)

Julho 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

pesquisa

links

arquivos

tags

todas as tags

subscrever feeds