Sábado, 19 de Novembro de 2011

DELITOS DE OPINIÃO?

Beryl Cook 

 

“Era de fato muito bonita! 40, casada, 2 filhas, marido bom, trabalhador, ótimo pai e excelente companheiro. Por que ela o traía? Sempre analisava sua situação e invariavelmente sentia-se muito culpada. Sofria com isso.

 

Veio tratar-se comigo e contou que amava sinceramente seu marido, mas, não ficava sem atividade sexual com outros homens que a vida lhe trazia ocasionalmente e tinha dois que era só telefonar que sempre um estaria disponível. Perguntei-lhe o que viera buscar no Valente e respondeu que gostaria de não proceder mais com as traições conjugais. Isso estava pesando demais em sua consciência.

 

Para checar se esse propósito era realmente verdadeiro, pedi-lhe para levantar da cadeira e ajoelhar-se frente a Jesus Cristo que tenho na parede do Consultório, o que prontamente o fez e, pedi-lhe também, para dirigir-se a ele com muita fé e proferisse algumas palavras solicitando a sua ajuda, o que o fez com muito choro e carregada de sentimento.

 

Deitada na maca, procedi ao Banho de Luzes, limpando cada um de seus corpos, e vi suas amigas extremamente chateadas com a situação, diria, em completa desaprovação. Como sempre procedo, pedi aos amigos e amigas presentes, que encaminhassem essas pessoas aos Postos de Atendimento Doutrinários do nosso bairro. Assim procedendo, nossa Paciente não teria mais essas companhias que se utilizam dela para procederem a saciar seus intentos de prazer, digamos assim.

 

Agendei a Consulta seguinte para dali a uma quinzena, para assim, com um tempo maior, poder, de fato, medir se houve ou não a companhia de novas companhias.

De fato, nada mais praticado pela Paciente e, por minha vez, também não vi mais ninguém do tipo daquelas pessoas.

Beijo na Alma!”

VALENTE

aconselhamentos e orientações

vidas passadas, regressões, cromoterapias

sem hipnose e sem medicação de espécie alguma

depressão, abortos, angústia, ansiedade, desmotivação,

traumas, insônia, drogas, pânicos, suicídio, medos

 

Enorme cruz devo carregar para receber no e-mail do SPNI lixo deste teor. A do "beijo na alma" deixou-me pendente queixo e lábio inferior.

 

Outros recebimentos são delícia a não perder. É de atentar neste:

 

“A língua portuguesa é difícil, até para fazer amor! Amá-la ou Amar-te?

O marido, ao chegar a casa, no final da noite, diz à mulher que já estava deitada:
 - Querida, eu quero Amá-la.
A mulher que estava a dormir, com a voz embalada responde:
- A mala... Ah, não sei onde está, usa a mochila que está no armário do quarto de visitas.
- Não é isso, querida, hoje vou Amar-te.
- Por mim, podes ir até Júpiter, Saturno e até à merda, desde que me deixes dormir.” 

Neste outro também recebido da mui querida Dobra:

 

"Um cê a mais e alguns «rrr’s» errantes …

 

Quando eu escrevo a palavra acção, por magia ou pirraça, o computador retira automaticamente o C na pretensão de me ensinar a nova grafia. De forma que, aos poucos, sem precisar de ajuda, eu próprio vou tirando as consoantes que, ao que parece, estavam a mais na língua portuguesa.

Custa-me despedir daquelas letras que tanto fizeram por mim. São muitos anos de convívio. Lembro-me da forma discreta e silenciosa como todos estes CCC's e PPP's me acompanharam em tantos textos e livros desde a infância. Na primária, por vezes, gritavam ofendidos na caneta vermelha da professora:  - não te esqueças de mim! Com o tempo, fui-me habituando à sua existência muda como quem diz: “sei que não falas, mas ainda bem que estás aí”. E agora as palavras já nem parecem as mesmas.

O que é ser proativo? Custa-me admitir que, de um dia para o outro, passei a trabalhar numa redação, que há espetadores nos espetáculos e alguns também nos frangos, que os atores atuam e que, ao segundo ato, eu ato os meus sapatos. Depois há os intrusos, sobretudo o R, que tornou algumas palavras arrevesadas e arranhadas, como neorrealismo ou autorretrato. Caíram hífenes e entraram RRR's que andavam errantes. É uma união de facto e, para não errar, tenho a obrigação de os acolher como se fossem família. Em 'há de' há um divórcio, não vale a pena criar uma linha entre eles porque já não se entendem.

Em veem e leem, por uma questão de fraternidade, os EEE's passaram a ser gémeos, nenhum usa ( ^^^) chapéu. E os meses perderam importância e dignidade; não havia motivo para terem privilégios. Assim, temos  janeiro, fevereiro, março, são tão importantes como peixe, flor, avião.

Não sei se estou a ser suscetível, mas sem P, algumas palavras são uma autêntica deceção. Por outro lado, é ótimo que já não tenham.

As palavras transformam-nos. Como um menino que muda de escola, sei que vou ter saudades, mas é tempo de crescer e encontrar novos amigos.Sei que tudo vai correr bem, e só espero que a ausência do C não me faça perder a direção, nem me fracione, e nem me faça tropeçar em algum objeto. Porque, verdade seja dita, hoje em dia, não se pode ser atual nem atuante com um C a atrapalhar.

Só não percebo porque é que temos que ser NÓS a alterar a escrita, se a LÍNGUA É NOSSA ...? ! ? ! ?"

 

 E neste:

 

“Um exemplo de distinção e da elegância com que se destacam os Homens deste país e de democracia! É a melhor demonstração de que 'gente da aldeia' passou a ter acesso 'à cidade'.

 

O modelo é que já não se entende tão facilmente mas já não discuto, só refilo...

 

Cavaco Silva

Ter por compincha, correligionário e alto quadro de confiança o Dias Loureiro é uma coisa;

Ter por compincha, correligionário e alto quadro de confiança o Oliveira e Costa é outra;

Ter por compincha, correligionário e alto quadro de confiança o Duarte Lima é outra;

Ter por compincha, correligionário e alto quadro de confiança o Isaltino Morais, outra ainda.

Ter os quatro em simultâneo por compinchas, correligionários e altos quadros de confiança é arte, é gosto refinado, é exigência; uma selecção, jamais um acaso. 

 

CAFÉ DA MANHÃ

 

O amor mais recente dum leitor e comentador ocasional é esta ucraniana. Aprovo.

 

publicado por Maria Brojo às 09:01
link | favorito
Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

últ. comentários

Olá Tudo bem?Faço votos JS
Vim aqui só pra comentar que o cara da imagem pare...
Olá Teresa: Fico contente com a tua correção "frei...
jotaeme desculpa a correcção, mas o rei freirático...
Lembrai os filhos do FUHRER, QUE NASCIAM NOS COLEG...
Esta narrativa, de contornos reais ou ficionais, t...
Olá!Como vai?Já passaram uns meses... sem saber de...
continuo a espera de voltar a ler-te
decidi ontem voltar a ser blogger, decidi voltar a...
Autor que não foi possível identificar: Andrew Atr...

Julho 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

pesquisa

links

arquivos

tags

todas as tags

subscrever feeds