Segunda-feira, 16 de Abril de 2012

MÃO CHEIA DE NADAS

Mark Arian

 

«Lele, panilhas, veado, roto, mariolo, maricas, larila, maricon, afrescalhado, ventilado». Significados do mesmo - homossexual. Alguns com graça. Sendo para eles isto tudo na gíria do povão, nós merecemos pouco: «gaja, gajedo, fufa, sapatona e o genial grelame». Não apreciando discriminações, tenho para mim que tal desigualdade tem a ver com a ancestral borracha que à mulher apagava direitos - reprodutoras, sim, pessoas inteiras não. Cumulando, aquelas e outras designações passavam à boca pequena - masculina, está visto! - de geração em geração, uma ou outra acrescentado um ponto no conto. Ainda agora, no linguajar feminino e mais brejeiro, não nos aventuramos muito para lá do «gaja(o), fufa, maricas e larila». Definitivamente, umas senhoras! Podemos usar jeans, ser libertas, quiçá libertinas, mas, bem no fundo, ainda não nos despedimos das pérolas e do saia-casaco.

Dos saldos económicos fartámos - invariavelmente negativos. Vamos a outras contas, outras realidades sem as quais a vida extinguir-se-ia. Proponho cálculo mental: casal regular e ativo na conjugalidade. Façamos conta à modesta regularidade bissemanal de vinte minutos cada (nada de vagares que o amanhã também é dia e o cansaço e o sono não autoriza mais): 2 x 20 min x 60 s = 3600s. Ao ano: 3600 x 52 = 187 200s. Com uma frequência média de 1s e reduzindo à unidade SI de comprimento: 26 740 x 17cm = 454 580cm. Em quilómetros e com aproximação à dezena: 460km ao ano. Isto por cabeça feminina. É obra!

 

CAFÉ DA MANHÃ

 

publicado por Maria Brojo às 14:31
link | favorito
De c a 16 de Abril de 2012
cabeçuda qb, nem a fazer contas básicas se segura ;-)

2x20x60= 2400 e não 3600 bla bla bla são só mais 50& de farófia...

como há ali um nº que não se vê de onde vem (nem para onde vai?) e se fosse 17cm de vai-e-vem avantajado contaria a dobrar? resultado? uma autêntica cavalada a dar em nada, sem qq substância, comme d'habitude
De c a 16 de Abril de 2012
compute-se que o tal nº equivale a 1/7 dos 20 minutos, ou seja apenas 3, e que o 17 seja 2x8,5 cm isto porá a coisa em 'apenas' 2/3 do inflaccionado por cabeça (oca) feminina?

concorde-se que no obrar é que está o ganho ;-))

«...
E o ritmo aumenta à medida que vão mais fundo. A contorcer-se e já quase a vir-se, Júlia é agitada por um som polvoroso. Parecia ter sido um tiro. Afogueada, abre os olhos. Olha à sua volta e não vê ninguém. Tinha sido um sonho. Suspira fundo. Um sonho muito real! É o que acontece quando desejamos muito. Já o deveria saber. A imaginação transmuta-se momentaneamente em realidade ao mesmo tempo que satisfaz a vontade sedenta. Embora confusa, Júlia sentia-se estranhamente satisfeita com um certo sentimento de serenidade que se apoderava lentamente do seu corpo. Toma a decisão de se ir deitar na sua cama. Assim que se levanta percebe que as suas cuecas estão molhadas. Ao tirá-las, percebe de imediato que aquilo era o suco que a sua vagina produz de cada vez que é investida pelo desejo e pela vontade de um pénis duro. Os seus grandes lábios intumescidos e o seu clitóris ainda em contracção denunciavam essa vontade. Desta vez sonoriza o seu pensamento.

- Foi tudo tão real! O que é que se passa comigo?!

Não se sentiu com forças para procurar uma resposta. Trocou rapidamente de cuecas e deitou-se. Cerrou os olhos e fez um esforço para se deixar dominar pelo sono profundo, precisamente aquele que é estéril de sonhos. Passados dezassete minutos, Júlia volta a adormecer. E assim se manteve até à hora de acordar.

R.S. »

http://tertulia-cafe.blogspot.pt/
Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

últ. comentários

Olá Tudo bem?Faço votos JS
Vim aqui só pra comentar que o cara da imagem pare...
Olá Teresa: Fico contente com a tua correção "frei...
jotaeme desculpa a correcção, mas o rei freirático...
Lembrai os filhos do FUHRER, QUE NASCIAM NOS COLEG...
Esta narrativa, de contornos reais ou ficionais, t...
Olá!Como vai?Já passaram uns meses... sem saber de...
continuo a espera de voltar a ler-te
decidi ontem voltar a ser blogger, decidi voltar a...
Autor que não foi possível identificar: Andrew Atr...

Julho 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

pesquisa

links

arquivos

tags

todas as tags

subscrever feeds