Sexta-feira, 29 de Março de 2013

Cristos de Bual nesta Sexta-Feira Santa

 

Artur Bual – série “Cristos

 

Quem não se lembra dele no “Botequim” onde pontificava a Natália Correia e ilustres mais? Figura maior das artes plásticas portuguesas, foi pioneiro nos gestuais abstratos. Formado pela magnífica Escola de Arte António Arroio de onde saíram fornadas de artistas, ainda hoje referências na pintura nacional.

 

Evolutivo no caminho que para ele traçou, diria: _ “As imagens da minha infância, a natureza que me cercava, as flores que colhi e não cheirei marcaram-me como homem e – eu sei-o – como pintor. Foi por um caminho sinuoso que cheguei ao encontro comigo mesmo”.*

 

Primeiro, conheci-o numa exposição. Empatia imediata. Pouco depois, visitei o ateliê da Amadora, cave de porta aberta a conhecidos, amigos, e amigos de amigos. Muitos haviam sido condiscípulos da António Arroio que nele reconheciam talento arrojado, o homem sincero e afável, tempestuoso às vezes. Encantava pelo voo da palavra e pelos silêncios que integrava nas telas. Lema que repetia: “Gostaria que se lembrassem de mim como um homem que pintou, diariamente, as suas preocupações, os seus sonhos e, acima de tudo, o amor”.

 

(...) Das séries mais corajosas, há que lembrar a das “Meninas” cujo erotismo Artur Bual explicava: (...)  Porém, a série mais conhecida e impressiva é a dos “Cristos”. Neles, a humanidade do sofrimento que conferem ao observador emoções múltiplas, a lembrança do carreiro de todos com abismo no horizonte.

 

“Cristos ou Crucificações são símbolos de humanidade e despojamento, de torturas e amor; (…) Estou sempre predisposto a pintá-Lo. Quem sabe se não o pinto como quem faz um auto-retrato?”*

 

*Para mais conhecer, o Círculo Artur Bual.

 

Nota: texto completo aqui.

 

CAFÉ DA MANHÃ

 

publicado por Maria Brojo às 11:01
link | favorito
Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

últ. comentários

Olá Tudo bem?Faço votos JS
Vim aqui só pra comentar que o cara da imagem pare...
Olá Teresa: Fico contente com a tua correção "frei...
jotaeme desculpa a correcção, mas o rei freirático...
Lembrai os filhos do FUHRER, QUE NASCIAM NOS COLEG...
Esta narrativa, de contornos reais ou ficionais, t...
Olá!Como vai?Já passaram uns meses... sem saber de...
continuo a espera de voltar a ler-te
decidi ontem voltar a ser blogger, decidi voltar a...
Autor que não foi possível identificar: Andrew Atr...

Julho 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

pesquisa

links

arquivos

tags

todas as tags

subscrever feeds