Terça-feira, 25 de Junho de 2013

CONTO SEM ACRESCENTO DE PONTOS

 

Gigi Liverant

 

Reunião tardia. Noite descida sobre Lisboa. Eixo Norte/Sul desentupido. À ida. Pela vinda, empanturrado no acesso de Campolide.

 

Pontual, fruiu das velas e do chá quente e dos bolinhos miúdos que aqueciam o ambiente austero. Não lhe sentiu o peso no breu urbano por conhecê-lo leve durante o dia.

 

Ela sentava-se num dos sofás forrados com pele castanha. Sorriso fácil, presença afável. Por tudo, linda. Mãe competente de trindade juvenil. Profissional exemplar. Discreta, levantou-se. Sussurrou a razão:
_ Pela tua simpatia, pelo apoio quando precisei. É símbolo, não valor. Sei que o lerás tal qual pretende ser.

 

Abraço forte, emoção surpresa. Afeto na ponte infinita do amplexo. Dourado o embrulho pequeno. Passado de mão para mão. Deixou-o por abrir – não havia tempo nem sentido no interromper do decisivo. Guardou-o na pasta/apêndice, entalado entre o computador mínimo, dossiês e «micas» empapeladas. Gesto selado pelas faces que os lábios afloraram. Anos partilhados no mesmo local de trabalho. De novo, o muito perto feito essência. Rara. Fragrante.

 

Quando largou os pesos dependurados no ombro e nos braços, repetiu das chegadas os hábitos. Procurou o presente entretanto amarfanhado. Cautelosa, suprimiu os dourados. A caneta surgiu como potro de raça capaz de, num ápice, galgar o traço ou a palavra até campinas sem fim. Juntou-a aos bens raros que guarda, dá serventia, não se diluam numa gaveta e sem préstimo aromas de momentos felizes. 

 

CAFÉ DA MANHÃ

 

publicado por Maria Brojo às 07:20
link | favorito
Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

últ. comentários

Olá Tudo bem?Faço votos JS
Vim aqui só pra comentar que o cara da imagem pare...
Olá Teresa: Fico contente com a tua correção "frei...
jotaeme desculpa a correcção, mas o rei freirático...
Lembrai os filhos do FUHRER, QUE NASCIAM NOS COLEG...
Esta narrativa, de contornos reais ou ficionais, t...
Olá!Como vai?Já passaram uns meses... sem saber de...
continuo a espera de voltar a ler-te
decidi ontem voltar a ser blogger, decidi voltar a...
Autor que não foi possível identificar: Andrew Atr...

Julho 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

pesquisa

links

arquivos

tags

todas as tags

subscrever feeds