Domingo, 28 de Junho de 2009

SIGNOS, ROY, NIETZSCHE E PAVESE

 

 Autor que não foi possível identificar
 
Roy Lencastre – nick que não aprecio enquanto tal, segundo a subjectividade que reivindico -, deve esconder insaciável fome de saber. Roy trouxe à colação frases mestras de mestres:
_“A Felicidade é a sensação de que o poder cresce.” Nietzsche
_“Ser infeliz é ter desejos.” Cesare Pavese
 
A Teresa C., personagem humilde, discorda. Os ícones pensantes podem, mas embacia-os, impor subjectividades como postulados ou definições. Sim, Bohr, postulou. Construiu modelo científico. Caramba! Mas o átomo é suposto «coisa». Não se vê, mas apoia a matéria consequente que precisava de modelo para ir adiante. E foi. Ajudado por Sommerfeld e por Schrödinger. Einstein também viria a sustentar base lógica. A Mecânica Quântica emprestou auxílio. Serviu até ao presente. Durante quanto tempo mais? Ninguém sabe.
 
Definir sentimentos e emoções é arrogância. A Teresa C., insubmissa no crédito aos saberes definitivos, lustrou galões. Irreverentes. Por eles, reclama:
_ Crescer é saber menos.
 
Sabe de quem fala _ dela. Não desafina nas «postas de pescada». Como Nietzsche e Pavese, que vasculhou de modo avulso. Talvez pela ignorância a discórdia. Deviam saber que o absoluto é invenção. “Sonho de uma noite de Verão”. Shakespeare sabia. Ela acredita nele.
 
A Teresa C., personagem que a inquietude caracteriza, sempre propagou não se fiar na ladainha dos signos definidos em mapas astrais. Pelo sentir de uma criança com pouco mais de um par de anos de idade, renega o dito. Que se lixe o pragmatismo! Existem semelhanças entre seres nascidos em período semelhante que não encontra noutros. Explicação satisfatória era matriz pessoal coincidente que o crescer molda. Que arrastava à espiral do ADN. Mais não. 
 
Hoje, vai além. Rodeada de familiares amores “escorpiões”, a criança, um entre eles, provou-lhe o improvável – algum copy/paste potencia conjugação harmónica nos “aquários”, “virgens”, “leões” e “gémeos” próximos. Odeia coincidências, uma e outra, sem que as indague. Vício experimental? Talvez! Incoerente? Certeza que a satisfaz e não lhe permite parar.
 
CAFÉ DA MANHÃ

 

 

publicado por Maria Brojo às 02:56
link | Veneno ou Açúcar? | favorito
13 comentários:
De jotaeme a 28 de Junho de 2009
Olá Teresa! As frases célebres de alguns seres pensantes que chegam á ribalta, costumam condicionar outros seres que teimam em não pensar! Então é ver e ler citações para h justificar tudo e mais alguma coisa... curioso ainda não confirmei se algum(a) dessas cabeças mais pensantes que outras que teimam em não pensar, tivessem ganho o Euromilhões! Nós conhecemo-nos,(temos a obrigação disso) e sabemos como domar e manobrar os nossos demónios e anjos dos quais todos temos um pouco), não precisamos de que outros o descubram...
Eu cito aqui algumas frases de um "filósofo" que me marcam: "Faz por ser bom e prepara-te sempre para o que vier de mau";"Vive e respira segundo a segundo, ou menos se puderes, desfruta o estares vivo"; "Dorme tranquilo porque se acordares , vais ter muitas oportinudades para rectificares o que mal achas que fizeste", entre outras máximas...
Nome do filósofo: EU, ou seja jorge madureira! Tem um bom domingo!
Jorge madureira
De Teresa C. a 29 de Junho de 2009
Joataeme - as máximas que construímos têm uma virtude - são precárias. Daí o gozo ao lembrar as que amontoámos na colecção que o tempo muda.
De António a 28 de Junho de 2009
1 - escorpiões ? caso estranho... escolhido não poderia ser pior... mas pode acontecer, porque não? e um escorpião não morde, aferroa(-se) se encurralado, mas simboliza muito muito muito mais

2 - agora: nada de distracções, ou só as bastantes para manter o foco no essencial apelo do caminho dos astros, calcetado a mole humana, feita de massa cinzenta (mais branca!) e ânimo, ossatura e coração, musculagem e fímbria poética, chave então de acesso a vias lácteas zodiacais e outras que tais, que importa se nem todos a entendem? se nem sempre a entendemos? se nem entendo nos vale? amamos - e é tudo!!

3 - ai o átomo (que saudades do Sr. Tompkins...) mais o que nele orbita e o mistério da matéria, essa coisa séria que se vê do Equador mas às vezes também é corpuscular quando menos se espera - bem vindas são estas excelentes aproximações e o que exalam para temperar outras químicas ...
De Teresa C. a 29 de Junho de 2009
António - e se a Química e as químicas são apaixonantes...
De zeka a 29 de Junho de 2009
Humilde mente, sentida mente, fico-me pelos Scorpions, onde os Peixes me recomendam, viva mente, "Still Loving You"
De Teresa C. a 29 de Junho de 2009
Zeka - quem me dera o seu talento para brincar com a grafia das palavras!...
De Ponces Villeda a 29 de Junho de 2009
dá para entender que é uma resposta a uma posta da tal de Teresa C., mas onde está a posta original? em que jornal?
De Teresa C. a 30 de Junho de 2009
Ponce Villeda - a posta original encontra-se disponível em qualquer arca de congelados no supermercado mais próximo de si.
De zeka a 30 de Junho de 2009
PV- O seu nick liga par um site pv.com muito lento a carregar...

Para tentar ajudar a acelerar a coisa em causa, a posta anterior da tal Teresa C. (dona do SPNI - que tem tanto SPIN!) é do dia 27

http://sempenisneminveja.blogs.sapo.pt/833893.html#comentarios

Neste caso, o jornal é mesmo este blogue original (e assaz genial).
De justo a 30 de Junho de 2009
Tati; Ao ler seu texto me veio à mente um episódio da "star trek" . Spok, o vulcano , ao retornar à vida após haver morrido em um episódio (ou filme) anterior, é questionado pelo médico da nave, McCoy, para que troquem algumas experiências sobre o fato.
Spok, em sua lógica vulcana, o interrompe e pergunta:" Você já morreu também?"
--Nao. diz McCoy. Ao que encerra a discussão, Spok afirma.
Depois que você morrer, e voltar, poderemos falar sobre isto.
Assim é o que você escreveu minha querida.
Há experiências que são únicas.E , por mais lógico que possamos ser, sentimentos são únicamente pessoais.
Beijos.
De Teresa C. a 1 de Julho de 2009
Justo - como me deixa feliz o seu registo, sempre oportuno, no SPNI! Beijo amigo.
De Mininin a 3 de Julho de 2009
Olha que eu tentei 'postar', tentei varias vezes. Depois de tentar por um bocadinho mais e sem resultados, veio-me esta ideia mais descalçada de imaginar quanta tinta anda para aí a ser deitada.

De todas as boas, mais ou menos boas e más coisas que andam a deitar a frustração do pessoal que quer saber não importa como venha de lá uma explicação. Como dizem os nossos vizinhos, venga ya!

Certas coisas não são explicáveis : apenas são.

Eu vou olhando de vez em quando. Ah pá, que o gajo anda a tentar trabalhar e, multi-tasking takes a whole lot of Dr. Pepper and good jazz que é, o licor do Diógenes. Com charutos de cento e trinta e cinco paus.

Amo-vos a todos, ainda que apenas conheço-vos pela escrita.

Beijinhos às raparigas e tapinhas às costas ao restante da malta.

Yeehah!


De Mininin a 3 de Julho de 2009
E mais: gostei tanto disto pá que vou mais é esquecer todos e todos e todos os outros lugares, e voltarei para propiciar-vos mais e mais para se não pare com o falório.

Please, don't stop. Aquela ideia de 'sacar' livro até não é má.

Comentar post

últ. comentários

Olá. Posso falar consigo sobre a sua tia Irmã Mar...
Olá Tudo bem?Faço votos JS
Vim aqui só pra comentar que o cara da imagem pare...
Olá Teresa: Fico contente com a tua correção "frei...
jotaeme desculpa a correcção, mas o rei freirático...
Lembrai os filhos do FUHRER, QUE NASCIAM NOS COLEG...
Esta narrativa, de contornos reais ou ficionais, t...
Olá!Como vai?Já passaram uns meses... sem saber de...
continuo a espera de voltar a ler-te
decidi ontem voltar a ser blogger, decidi voltar a...

Julho 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

pesquisa

links

arquivos

tags

todas as tags

subscrever feeds