Quarta-feira, 29 de Julho de 2009

MULHER = HOMEM DE ACÇÃO?


Scott Jacobs

 

Irrestível esta sugestão! Não é réplica, nem contraditório, antes iluminado complemento do texto "Lealdade/Vício" publicado no dia 23.

 

“Quando me perguntam o que acho das mulheres, a minha inclinação natural é responder como um arguido: "Nada a declarar." Acho preferível exercer o meu direito ao silêncio, não vá alguém usar contra mim algumas das minhas palavras. Todo o homem é isso mesmo, começa como arguido diante das mulheres. Precisa de provar para não ser condenado.

 

Por isso, sempre achei que o segredo do negócio é dizer pouco e escutar muito. Se sei alguma coisa sobre as mulheres, é o mesmo que sei sobre economia: sei que devia saber mais. Mas não sei. E o que sei é mais ou menos o que irei repetir aqui.

 

É o seguinte. Toda a mulher - bela, feia, mediana, celestial, não importa - é, como dizia Cesare Pavese, um "homem de acção". Pavese teve uma paixão funérea (por uma americana que o chutou para canto) e disse que as mulheres são "homens de acção". Não acabou bem: matou-se. Os seus diários estão cheios dessa necessidade de perceber as mulheres, de prever as mulheres - e as mulheres, já se sabe, não querem nada muito transparente que logo se cansam. Pavese até sabia e foi por saber que se lixou.

 

De qualquer maneira, o que importa é essa visão realista sobre as mulheres: as mulheres como criaturas menos falíveis, menos lunáticas do que os homens, as mulheres dotadas de maior pragmatismo e lucidez que os do "outro lado".

 

Para as mulheres, não existem abstracções. Por exemplo, não existe o Homem mas homens concretos e mulheres concretas. Existe o pai, o irmão ou, desculpem o termo, o companheiro; nunca o membro insípido e distante da espécie. Depois, reparem que as mulheres, que nunca fizeram muitas revoluções, nunca fizeram, sobretudo, revoluções inúteis. O sufragismo foi uma revolução útil. As feministas empenhadas sabiam que não estavam a contemplar a terrífica exploração masculina para ocupar tempo. Queriam uma nova revolução para alcançar algo novo e importante.

 

Elas não trabalham de borla. Quando os soldados portugueses partiram para a Flandres na primeira Guerra Mundial, as mulheres portuguesas organizaram peditórios públicos. Não era generosidade. Não eram tempos livres. Era o imenso pragmatismo feminino a acontecer. Pensem num dos casais mais célebres de todos os tempos, Xantipa e Sócrates. Quem era Xantipa? Discutia Parménides com o marido? Nada disso importa. Porque Xantipa sabia mais do que Sócrates, é o que vos digo. E talvez olhasse para o pobre com algum compassivo desprezo.

 

As mulheres não querem saber o que são as coisas. Não são filósofas. Querem perceber antes como funcionam e o que se pode fazer com elas. Querem saber como fazer. O "como" é o que lhes interessa. São homens de acção à espera de uma batalha.”


Pedro Lomba
 

CAFÉ DA MANHÃ
 

publicado por Maria Brojo às 07:53
link | Veneno ou Açúcar? | favorito
9 comentários:
De zeka a 29 de Julho de 2009
Fico ?aralhado ;-)

Aqui a mulher (=H.A) é assexuada (não expõe os dotes corporais).

Depois... O caso mais recente dum Homem de Acção (em termos públicos) refere também Homem Bom e Homem de Sucesso.

Em que ficamos?

Partimos dos fatais cromossomas?
Voltamos à guerra dos seXos?

http://www.youtube.com/watch?v=5zzSiKK7NtM

http://www.compiada.com/index.php?option=com_content&task=blogcategory&id=20&Itemid=24

Afinal, não há tal guerra?
Existem diferenças, complementaridades... e hormonas!

http://diario.iol.pt/noticia.html?id=769623&div_id=4071

Mas há rival&dade?

http://mundodasmulheres.weblog.com.pt/2009/07/rivalidade_femi_1.php

Em conclusão: uma falsa questão, mera divagação, pura especulação, santa con fusão?

De Teresa C. a 30 de Julho de 2009
Zeka - existem diferenças evidentes quer biológicas, quer psíquicas entre homens e mulheres. Mas, no caso vertente, seduziu-me no texto do Pedro Lomba, sugestão sua, a visão descomprometida dos estereótipos vigentes.
De zeka a 30 de Julho de 2009
Teresa - fui atrai çoado ;-)

O título "O que os homens querem de uma mulher"... acabou em "homens de acção".

Como com aquela 'irre-sis-tível' sugestão nos brindou com uma mulher 'fardada' em acção (como se fosse um homem), e como o Lomba também é pragmático e deu o dito por não dito, fico refém duma acção baralhadora... em que só me saem duques ;-)

http://as-tresloucadas.blogspot.com/2008/12/isto-mim-s-me-saem-duques-e-cenas.html
De Teresa C. a 30 de Julho de 2009
Zeka - foi nada! Até que ficou mais assertivo o título. «Eu cá acho»! :)

Comentar post

últ. comentários

Olá. Posso falar consigo sobre a sua tia Irmã Mar...
Olá Tudo bem?Faço votos JS
Vim aqui só pra comentar que o cara da imagem pare...
Olá Teresa: Fico contente com a tua correção "frei...
jotaeme desculpa a correcção, mas o rei freirático...
Lembrai os filhos do FUHRER, QUE NASCIAM NOS COLEG...
Esta narrativa, de contornos reais ou ficionais, t...
Olá!Como vai?Já passaram uns meses... sem saber de...
continuo a espera de voltar a ler-te
decidi ontem voltar a ser blogger, decidi voltar a...

Julho 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

pesquisa

links

arquivos

tags

todas as tags

subscrever feeds