Terça-feira, 15 de Dezembro de 2009

ROUBO LEGÍTIMO

Lorenzo Sperlonga

 

Cidadão cumpridor das obrigações fiscais depara com envelope postado em cima da fiada de caixas de correio do condomínio. Olha e lê o respectivo nome. Escrito à mão: “Morada errada!!!”.  Remetente: Finanças do Bairro respectivo. Ainda os elevadores subiam e desciam, abre a, pela certa, má notícia. Não se enganou. Em dívida valor de um qualquer ajuste do IMT relativo a apartamento adquirido havia quatro anos. Abriu a boca, pendeu o queixo de espanto. O caso não era para menos – em Abril do ano corrente, no momento de pagar o imposto de circulação do veículo que o transportava, fora informado do IMT atrasado. Pagara, ao tempo, o exigido. “Ajuste posterior”, explicação. Sem tempo para razões confusas que não entendia, saldou a suposta dívida. “Sistema em baixo” foi-lhe dito na tesouraria. Recolheu o papel e marchou rumo ao quotidiano.

 

Ao ler nova exigência do pagamento da mesma dívida, julgou-a confusão facilmente deslindada. Dia novo, chega ao local de trabalho. Coincidência: recorre à secretaria. Funcionária atenciosa, num sussurro discreto, informa-o ter penhora sobre fracção do vencimento.
_ Não recebeu carta alguma?
Susto renovado. Que não, que era impossível até lembrar o maldito envelope da véspera com D em vez de B. Exibiu-o e entendeu:
_ Estou envolvido numa alhada!

 

Manhã nova, entra pelo portal de vidro regulado por célula fotoeléctrica. Nele escrito: Finanças. Apresenta o papel/envelope. Ouviu:
_ Que sim, que tinha dívida, que o erro da morada era exclusiva culpa dele – assinara impresso confirmando os dados pessoais.

Engoliu a distracção que não chegara ao «D». Pela segunda vez, e perante o pasmo da funcionária da tesouraria que lembrava o caso – na altura, estranhara pagamento dum acréscimo de IMT quatro anos atrasado –, enfiou o cartão na máquina e saiu limpo de dívidas.

 

O cidadão cumpridor passou fim-de-semana revolvendo papéis em busca do recibo. Nada! Malvada confiança que o fez acreditar numa instituição legítima de roubo (des)organizado. Soube depois: os funcionários das Finanças têm objectivos a cumprir para subirem no escalão e haver direito a bónus. Entre eles, cobrança de dívidas. Saldadas ou não, assim haja recanto por onde pegar, o utente está lixado!

 

CAFÉ DA MANHÃ

 

Sugestão do Zeka à qual, a propósito, aderi. Tom Waits é voz que não descuro.

 

tags: ,
publicado por Maria Brojo às 06:41
link | Veneno ou Açúcar? | favorito
6 comentários:
De António a 15 de Dezembro de 2009
o facto de o recibozinho não ter aparecido é uma arrelia a desfavor da crónica...

mas sem dúvida, que las hay las hay

«in dubio pro fisco»?

;_)))
De Maria Brojo a 16 de Dezembro de 2009
António - o menos é o desfavor da crónica (croniqueta?). O mais é o pagar dobrado e com juros de mora.
De zeka a 15 de Dezembro de 2009
Esta Bond Girl (sem cabeça e sem pernas) é um concentrado armado contra qualquer pagador d'impostos ;-)
E não há qualquer roubo em causa, mesmo que em causa esteja um objectivo de desempenho: será antes uma Caça em plena época?
Sorte minha: ainda não chegou ao IUC (já me safei de vários tardios sem agravamento).
O Thomas Alan (Waits) é uma espécie de 4 em 1:
«Singer-songwriter, composer and actor. Has a distinctive voice, described as sounding "like it was soaked in a vat of bourbon, left hanging in the smokehouse for a few months, and then taken outside and run over with a car.»
De Maria Brojo a 16 de Dezembro de 2009
Zeka - a citação magnífica sobre o Tom Waits - voz de nicotina e whisky que encanta pelo conteúdo dos «lyrics», postura, efeito e dispensa razões - não alivia o ocorrido num dia do referido cidadão.

Quem lhe dera a fortuna do Zeca quando o fisco o beneficia ao esquecer omissões!
De zeka a 17 de Dezembro de 2009
Pois não aliviará... mas também não concorda com o aludido roubo. Chamar-lhe-ia 'azar'. Acontece-me quando um equipamento avaria e não encontro o talão de compra... "Sistema em baixo" :-(

Mas Waits é muito 'pedagógico'...
«And as we discussed last semester, the Army Ants will leave nothing but your bones.
Perhaps you've encountered some of these insects in your communities, displaying both their predatory and defense characteristics, while imbedded within the walls of flesh and passing for, what is most commonly recognized... as human»
http://www.youtube.com/watch?v=lBkyaJqQ-50
De Maria Brojo a 19 de Dezembro de 2009
Zeka - tenho um(?) preconceito: odeio o termo azar. Descuido do cidadão é certo. Mas que foi roubado foi!

Quanto ao Waits estamos conversados :)

Comentar post

últ. comentários

Olá Tudo bem?Faço votos JS
Vim aqui só pra comentar que o cara da imagem pare...
Olá Teresa: Fico contente com a tua correção "frei...
jotaeme desculpa a correcção, mas o rei freirático...
Lembrai os filhos do FUHRER, QUE NASCIAM NOS COLEG...
Esta narrativa, de contornos reais ou ficionais, t...
Olá!Como vai?Já passaram uns meses... sem saber de...
continuo a espera de voltar a ler-te
decidi ontem voltar a ser blogger, decidi voltar a...
Autor que não foi possível identificar: Andrew Atr...

Julho 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

pesquisa

links

arquivos

tags

todas as tags

subscrever feeds