Quinta-feira, 23 de Setembro de 2010

PARA PIOR, DIFERENTE

Autores que não foi possível identificar

 

Hoje, o SPNI celebra aniversário. Passados sete anos e porque a idade dos blogues é como a dos gatos e cães, sempre mais que a factualidade do nascimento, é adulto. Época do juízo comummente aceite. Mas não: persiste em argoladas, é emotivo, despreza filtros sisudos, deambula entre a ironia e a tentativa de comunicar ideias com jeito. Um irreverente teimoso no desatino de desbaratar palavras/munições sem vestígios de poupança.

 

Dos blogues genéricos como este, não filiado nos ‘políticos’, ‘eróticos, ‘humoristas’, ‘críticos literários ou de música ou de cinema ou de teatro ou dança’, é considerado serem exposições narcísicas que o ser do autor necessita para a persona adquirir o estatuto de pessoa. Motivação possível, não fosse a origem estória constante dos arquivos.

 

Razão actual da existência do SPNI: colocar em causa a maestrina, satisfazer necessidade de escrita, aprender com os comentadores e, pelo treino, alinhar na forma de palavras concertadas sínteses diárias de alguns pensares. Sem o retorno de quem generosamente comenta a evolução seria pobre e lenta. Exemplo último no tempo: jamais me questionara sobre alternativa ao termo 'remissão'. Ignorava ser 'remição' palavra e conceito plausível para o fim em vista. Mas é. Preferível.

 

Pelo tratado, ergo taça de aplauso àqueles que me comentaram e comentam. Sem eles, a mulher maneada pela escrita não besta seria, para pior, diferente.

 

CAFÉ DA MANHÃ

 

publicado por Maria Brojo às 07:27
link | Veneno ou Açúcar? | favorito
23 comentários:
De Acúçar C. a 23 de Setembro de 2010
A tempo de ainda apanhar borbulhas de espumante e de aceitar com prazer o molhar inerente à partilha de ideias e reparos (nos dois sentidos) ergo a taça para desejar outros tantos, sem 'besta seria', para melhor simplesmente. Como o 'quem não se sente...'.
Que fique de pé e brinde, por muitos e bons momentos, até à fase 'bi-adulta' : Venham mais sete!

Sete anos de pastor Jacó servia
Labão, pai de Raquel serrana bela,
Mas não servia ao pai, servia a ela,
Que a ela só por prêmio pertendia.

Os dias na esperança de um só dia
Passava, contentando-se com vê-la:
Porém o pai usando de cautela,
Em lugar de Raquel lhe deu a Lia.

Vendo o triste pastor que com enganos
Assim lhe era negada a sua pastora,
Como se a não tivera merecida,

Começou a servir outros sete anos,
Dizendo: Mais servira, se não fora
Para tão longo amor tão curta a vida.






De perseu a 23 de Setembro de 2010
Vinte valores ,cinco estrelas de General e passadeira encarnada para este comentário.
De Maria Brojo a 27 de Setembro de 2010
Açúcar C. - obrigada. Que reste a gratidão sentida pelo seu dizer.
De luis eme a 23 de Setembro de 2010
parabéns e ainda bem que não é invejosa, Teresa...
De Maria Brojo a 27 de Setembro de 2010
Luis Eme - de invejosa julgo pouco ter. Mas o ser humano gosta de se ver num espelho que o distinga dos demais. Será?

Muito obrigada.
De Textículos a 23 de Setembro de 2010
Muitos parabéns. É um prazer diário lê-la pela manhã.
De Maria Brojo a 27 de Setembro de 2010
Textículos - que venham mais para todos, para si em particular. Juntos somos poucos, ainda seja dito que não.

Obrigada.
De perseu a 23 de Setembro de 2010
Claro que felicito a cronista e o seu excelente blog.
Oxalá durante muito tempo sejamos contemplados com a excelencia das sua crónicas Teresa C.
Não obstante algumas discordancias os seus comentadores,alguns, muito têm contribuido para o exito do seu blog.
De Maria Brojo a 27 de Setembro de 2010
Perseu - os comentadores de hoje e de sempre influenciaram o caminho da mulher na escrita. O seu contributo também. Obrigada.
De António a 23 de Setembro de 2010
admirável efeméride, em dia também especial ;_)))

admirável, ainda, a actualização da vocação do SPNI

votos de muitas partilhas felizes!!!







De Maria Brojo a 27 de Setembro de 2010
António - mil vezes obrigada pelas suas intervenções.
De Veneno C. a 23 de Setembro de 2010
Vivam as borbulhas (de gás não venenoso) de meio-seco a puxar p'ró bruto (da Murganheira?).

Hoje... cessar fogo! Apagar velas!!!!


O Guerra está de serviço, cantando pacificamente -e molhado- pelos seus Sete:

http://www.youtube.com/watch?v=ctd4dEB4nrk

De perseu a 23 de Setembro de 2010
Concordo!
Tréguas de Natal são sempre bemvindas.

Gosto muito do murganheira a acompanhar leitão da Bairrada.
De Maria Brojo a 27 de Setembro de 2010
Veneno C. - críticas bem-vindas as suas. Sozinha, dancei ao som da sua sugestão. Obrigada.
De Marta Madalena Botelho a 23 de Setembro de 2010
Querida Teresa,
Muitos parabéns por mais um ano de resistência na blogosfera portuguesa, onde já é uma referência.
Beijinho. :)
De Maria Brojo a 27 de Setembro de 2010
Marta Madalena Botelho - o meu apreço por si é imenso. Obrigada pela visita e pela lembrança.
De -pirata-vermelho- a 23 de Setembro de 2010
A escrita é sempre narcísica.
O tema e o escrito ficam para além do autor, passado, agente escritor que pode mesmo ser pseudónimo
mas!
a escrita é sempre narcísica
porém,
quando fútil, prejudica.


Não será por acaso que até em concursode escrita aqui participei...


Beijos & mais deseijos
De Maria Brojo a 27 de Setembro de 2010
Pirata-Vermelho - meu bom e valoroso companheiro destas lides: _ Obrigada.
De Anónimo a 23 de Setembro de 2010
Passas para outra melhor, que é a lei da vida. O pior já passou. E que seja mais com Pénis (dos Comentadores) e inVeja dos imitadores.

Não há aniversários, há diários, há horários. O tempo passa. Foge...

http://www.youtube.com/watch?v=CwN0TO60hSo&feature=fvw

De Maria Brojo a 27 de Setembro de 2010
Anónimo - maravilhada com este seu presente. Irei ouvi-lo vezes sem que as conte. Muito, muito obrigada.
De gonju1@hotmail.com a 23 de Setembro de 2010
Parabéns Teresa, pelo trabalho, persistência e dedicação a este blog. Familiar e fiel como páginas de um matutino entre o café e as torradas da manhã, muitas vezes me perguntei de onde vinha a força dessa disciplina do espírito que te leva a postar em base diária por entre tantas vicissitudes do dia a dia. Depois, calmamente, a resposta veio: há uma Teresa que brilha num mundo secreto e íntimo - o da arte da escrita - distinto do mundo da mulher que vive, chora e ri, ama e sofre. Obrigado por estes sete anos de companhia.
De Maria Brojo a 27 de Setembro de 2010
Gonju - como responder ao que tanto me comoveu? Não sei. Que múltiplos de sete venham e nós inteiros aqui ou noutro lugar.

Comentar post

últ. comentários

Olá Tudo bem?Faço votos JS
Vim aqui só pra comentar que o cara da imagem pare...
Olá Teresa: Fico contente com a tua correção "frei...
jotaeme desculpa a correcção, mas o rei freirático...
Lembrai os filhos do FUHRER, QUE NASCIAM NOS COLEG...
Esta narrativa, de contornos reais ou ficionais, t...
Olá!Como vai?Já passaram uns meses... sem saber de...
continuo a espera de voltar a ler-te
decidi ontem voltar a ser blogger, decidi voltar a...
Autor que não foi possível identificar: Andrew Atr...

Julho 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

pesquisa

links

arquivos

tags

todas as tags

subscrever feeds