Terça-feira, 28 de Setembro de 2010

AMOR EM 'TIME-SHARING'

Autores que não foi possível identificar

 

As partilhas quotidianas faltam quando não existe o 'ele-amor' ou família ou amigos que ouvem, analisam, dizem, criticam, dão bordoadas e ajudam a remediar desarranjos informáticos, emocionais e caseiros. Indiferente a proporcionalidade entre eles e elas que precisam da comunicação como fonte de onde corre o repensar/discurso, conquanto especialistas afirmem o género feminino mais dependente da verbalização. Todos apreciam e precisam d’almas abertas sem delas esperarem obrigatório afago nas costas. Constando por sistema o item, desconfiam – ou mentira, lá foi a verdade dar volta ao quintal, ou servilismo malquisto, amizade prezada dele não quer saber ou precisa.

 

Ido um ou dois ajuntamentos, carimbados ou não, ida a meta dos quarenta para procriar e ilusora de velhice rodeada de netos e doce manta sobre joelhos colados, dos almoços/reuniões de família em tempo de liberdade semanal, aceites barrigas e flacidez e envelhecimento comum, uma de três realidades: não existe casal nem paixão tresloucada como toda a paixão deve ser, nem vontade de permanente vida comum.

 

Eles e elas, antes dos quarenta, também depois, vão ficando num ‘vemo-nos quando a semana der’. Desejam amor império. Inexiste, logo, não casam. Não aspiram a procriar infantes loiros e belos, logo, adiam compromisso. Já procriaram, não querem mais querubins, acreditam num amor majestade que um dia chegará e não chegou, não se ajuntam – preferem partilha e o calor e a ternura e acompanhados os malvados ócios solitários, por muitos indesejados, requerem companhia de acordar, jantar e de cama nalguns dias da semana. ‘Vão ficando’ - limbo afectuoso que daí não cresce. Que não é um mal. Que pode ser germe de venturas muitas. De ligações com manta para o melhor e pior.

 

Amor em time-sharing com a individualidade? Talvez, ou sim altivo sem vergonhas encolhidas pelos ditames que foram e enformaram, pela assunção de moralidade que a vigente já não condena.  

 

CAFÉ DA MANHÃ

 

Cortesia de 'Anónimo'

 

publicado por Maria Brojo às 06:28
link | favorito
Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

últ. comentários

Olá Tudo bem?Faço votos JS
Vim aqui só pra comentar que o cara da imagem pare...
Olá Teresa: Fico contente com a tua correção "frei...
jotaeme desculpa a correcção, mas o rei freirático...
Lembrai os filhos do FUHRER, QUE NASCIAM NOS COLEG...
Esta narrativa, de contornos reais ou ficionais, t...
Olá!Como vai?Já passaram uns meses... sem saber de...
continuo a espera de voltar a ler-te
decidi ontem voltar a ser blogger, decidi voltar a...
Autor que não foi possível identificar: Andrew Atr...

Julho 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

pesquisa

links

arquivos

tags

todas as tags

subscrever feeds