Quarta-feira, 20 de Outubro de 2010

AS ÚLTIMAS MOICANAS

Santala, Tim O’Brien, Autor que não foi possível identificar

 

Metáfora perfeita. Não se chamam Cora ou Alice que precisam de Uncas, o último dos moicanos de Cooper, para encontrarem o pai. Foram traídas, certeza, pelas conjunturas que dizem macro das económicas e (inter)nacionais sem rosto do índio Magua. À mesma e como ele, raposas matreiras. Aqui a ficção é invertida: anulada versão romântica do destino das vítimas e dos desmandos exterminadores de humanos; final sem prever salvação das infelizes irmãs.

 

Das moicanas e moicanos orgulhosos da sua condição que restam e lutam e continuam sonho de décadas, sobram poucos. Até Dezembro, obrigados a decidir entre devoção e amanhã menos ladrão. Médicos e professores, de facto aqueles dos banais trabalhadores públicos melhor recompensados economicamente, entraram na carreira iludidos com garantias estatais. Mudados anos e vontades, confrontam-se com o óbvio: iniciaram a vida activa cedo demais. Tivessem reprovado anos a fio, limpo o pó aos assentos da faculdade durante período maior que o expectável, desobedecido aos valores familiares que clamavam responsabilidade, esforço pessoal e aos vinte e um, vinte e dois na idade caminho na vida activa, no hoje e na profissão estariam iguais aos colegas madraços. Interroga a consciência colectiva a validade dos princípios educativos orientadores. Mutáveis, é sabido; todavia, culpados da actual infelicidade de moicanos/filhos cumpridores é surpresa maldita.

 

Abandonarem a profissão/amor é desgosto quando o sangue pulsa vigorosamente, com ele o músculo cardíaco e os ideais de vida inteira. Futurar velhice longínqua que não faça jus à dignidade sempre comedida companheira d’anteontem, d’ontem e d’hoje é pesadelo. Por tudo, até 30 do mês último deste ano, opção: sacerdócio até aos 65 sem altar e toalhas terminadas com renda fina, ou pragmatismo duro como carne de boi que nem pressão de panela hermética atenra. Renegando o trabalho já, maior a recompensa mensal que o salário em 2011. Menos despesas, menos cuidados e a possibilidade de exercício privado.

 

Aflição maior é o reconhecimento das situações contadas serem relativas a privilegiados. E os outros? Os (des)empregados a tempo incerto? Os reformados e trabalhadores que vivem na miséria – chamar-lhe pobreza é afronta. “De contente dói o dente”? _ Verdade insofismável e dolorosa para as(os) últimas(os) moicanas(os).

 

CAFÉ DA MANHÃ

 

Cortesia de Açúcar C.

 

publicado por Maria Brojo às 07:51
link | Veneno ou Açúcar? | favorito
14 comentários:
De -pirata-vermelho- a 20 de Outubro de 2010
Mais uma vez o café da manhã desmente a mente que se ressente.

É só escrúpulo ou será gente?
De perseu a 20 de Outubro de 2010
Com a devida permissão Senhor:

Terá por ventura o seu horizonte artificial avariado?
De -pirata-vermelho- a 20 de Outubro de 2010
Não voo por instrumentos, caro amigo. É tudo à vista...
De perseu a 20 de Outubro de 2010
Óptimo Senhor.
Mesmo no "velhinho" puxa empurra,é óptimo navegar em vfr.
Saudações!
De Maria Brojo a 24 de Outubro de 2010
Pirata-Vermelho - antes convicção na desmotivação que muitos experimentam nos dias correntes.
De Anónimo a 20 de Outubro de 2010
Que badalação descabida. Que metáfora mais desapropriada? Burguesia virou pobreza. Pobreza virou miséria. Miséria virou nada.

Sacerdócio? Era bom que sempre tivesse sido!
Que los hay...

Trabalhar (normal) só por elevados interesses e carreiras douradas?
Valores familiares, moicanas? Não se brinque com o que devia ser (mais) sério. Carne de boi... é... costuma(va) ser de vaca :-(

Vai lá vai...
De Maria Brojo a 24 de Outubro de 2010
Anónimo - acolhi o recado, conquanto o texto, julgo, tenha sido lido em viés.
De Anónimo a 24 de Outubro de 2010
Não é costume... pode então é ter sido (d)escrito desse jeito?

De que irmãs se trata?

Como é possível comparar a luta pelo sonho de décadas (?) com 'últimas moicanas'? Metáfora, talvez. Perfeita? Feita a olho? De viés? Yes?

Até Dezembro (1 ou 31?) decidir entre devoção e amanhã menos ladrão? Carne de boi? Bom almoçao ;-)


De Maria Brojo a 24 de Outubro de 2010
Anónimo - OK, a subtileza das razões não passou por aqui.
De perseu a 20 de Outubro de 2010
Existem em todas as actividades do trabalho os profissionais capazes e os 'mercenários profissionais'.

Obviamente que isso só raramente sucede na iniciativa privada,só existe lugar para os muito bons e para os bons.

Durante décadas o estado era o refugio da medíocridade e do "dolce far niente".

Mudaram os tempos,surgiu uma pleiade de gente com valores e sentido de profissoionalismo.

Cedo porém verificaram que os termos de avaliação eram identicos para os muito bons e bons e para os medócres.

Que fizeram,e fazem ainda,os muito bons e os bons?Os de mais solida formação e de vocação profissional bem vincada continuaram e continuam.Sabe Deus com que esforço,sei do que escrevo!
Muitos deles,compreensivelmente, entregaram-se à politica do 'nacional que se fecunde',alías condicente com TODOS os nossos politicos e governantes,cidadãos sem profissão conhecida.

Refomas?
Que importancia tem começado a trabalhar jovem?Que importancia tem ser médico,professor ou engenheiro?
Valem tanto como qualquer escriba ou secretário de estado ou ministro.

Obviamente que nada disto tem valor uma vez que quem NUNCA TRABALHOU,não pode avaliar uma vida de trabalho.

Desde quando os mansos e simpaticos burros podem competir com os puro sangue àrabes?

De Anónimo a 22 de Outubro de 2010
Quem considera que é mais inteligente do que os outros é muito mais burro do que os burros (animais) e não burros homens! Como é que um ser humano pode chamar burro a outro ser humano?? É de muito baixo nível..
De Maria Brojo a 24 de Outubro de 2010
Perseu - muita verdade e alguns desacertos com o que penso.
De Acúçar C. a 21 de Outubro de 2010
A minha proposta agora será mais condizente com o título:

http://www.youtube.com/watch?v=bZrBaSXUJyQ&feature=related

E que com arte (e engenho) se recuperem os momentos perdidos

http://www.youtube.com/watch?v=eIDQJ6XUjzk&feature=related
De Maria Brojo a 24 de Outubro de 2010
Açúcar C. - e se condiz... :)

Comentar post

últ. comentários

Olá. Posso falar consigo sobre a sua tia Irmã Mar...
Olá Tudo bem?Faço votos JS
Vim aqui só pra comentar que o cara da imagem pare...
Olá Teresa: Fico contente com a tua correção "frei...
jotaeme desculpa a correcção, mas o rei freirático...
Lembrai os filhos do FUHRER, QUE NASCIAM NOS COLEG...
Esta narrativa, de contornos reais ou ficionais, t...
Olá!Como vai?Já passaram uns meses... sem saber de...
continuo a espera de voltar a ler-te
decidi ontem voltar a ser blogger, decidi voltar a...

Julho 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

pesquisa

links

arquivos

tags

todas as tags

subscrever feeds