Quarta-feira, 30 de Julho de 2014

MANUAL DE INSTRUÇÕES INTERDITO A HOMENS

 

Diego Rivera (1886 — 1957), por qua­tro vezes expe­ri­men­tado côn­juge, incluindo o vul­câ­nico casa­mento com Frida Kahlo. Tal­vez nas imagens figurem «Clo­tildes Micro-ondas».

 

Mulheres: quando os vossos homens forem para a noite das urbes não há perigo que vos atormente. Sendo rara a surtida, liberem-nos com a vossa bênção. Importa recordar que no exercício da conjugalidade, os parceiros estão isentos de autorização em papel timbrado e devidamente assinado pelo outro na satisfação de vontades consensuais. Fora de causa, dizeres alfinetados, «trombas» na ida e/ou à chegada. Não esqueçam - somos utentes de fama e proveito no requinte dos nossos amuos. Nos silêncios. Na recusa ao diálogo pacífico. Na lâmina cortante em que nos transformamos caso atrevam fuga aos limites do nosso desagrado: autoestrada com três faixas nos dois sentidos. Impõe-se desmentido. Obedecer a Darwin na evolução do pensar que dita comportamentos.

 

À laia de favor ao «eu» feminino, a noitada apetite raro não merece intolerância expressa num voltar de costas quando 'pé-ante-pé' regressam ao espaço domesticado. Mais defendo: salvo fedor etílico que recomende enfiá-los em duche de água fria para satisfazermos o legítimo direito a sono arejado, cheguem sóbrios ou alegrotes, a escapada pede mútua curtição e alguns «ses». Se desejada pelos queridos. Se chegámos antes. Se insónia nos assarapantou. Cumpridos estes itens, riso ou lamento genuíno na narrativa do acontecido. Merecem pela desigualdade - eles podres de cansaço, nós finas como alhos. Quando calha, resulta em momento alto (…)

(…) deuses, quanto gozo! Que pico histórico na «mornice» diária! Aos 'danados para a brincadeira' e sensatos no que é ou não legítimo a respetiva saber - direito que lhes assiste e responde ao atávico pensar masculino sobre a nossa virginal ignorância (“uns tansos!”, exclamamos para dentro) – aconselho-vos (…)

 

(…) cujo significado é: _ "Olha este parvo!" Para aqueles bem providos em casa ou no trabalho, as referidas não valem um Trincadeira Reserva. Para melhor, têm a respetiva e a Clotilde Micro-ondas do backoffice (…)

 

(…) Pensem, congéneres! Não tendo amásia disponível, serão as conjugadas espertalhonas a ter noite de truz. Nem mais!

 

Nota – para sorrir um pouco, texto integral aqui.

 

CAFÉ DA MANHÃ

 

publicado por Maria Brojo às 07:55
link | Veneno ou Açúcar? | favorito

últ. comentários

Olá Tudo bem?Faço votos JS
Vim aqui só pra comentar que o cara da imagem pare...
Olá Teresa: Fico contente com a tua correção "frei...
jotaeme desculpa a correcção, mas o rei freirático...
Lembrai os filhos do FUHRER, QUE NASCIAM NOS COLEG...
Esta narrativa, de contornos reais ou ficionais, t...
Olá!Como vai?Já passaram uns meses... sem saber de...
continuo a espera de voltar a ler-te
decidi ontem voltar a ser blogger, decidi voltar a...
Autor que não foi possível identificar: Andrew Atr...

Julho 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

pesquisa

links

arquivos

tags

todas as tags

subscrever feeds