Quarta-feira, 30 de Julho de 2014

MANUAL DE INSTRUÇÕES INTERDITO A HOMENS

 

Diego Rivera (1886 — 1957), por qua­tro vezes expe­ri­men­tado côn­juge, incluindo o vul­câ­nico casa­mento com Frida Kahlo. Tal­vez nas imagens figurem «Clo­tildes Micro-ondas».

 

Mulheres: quando os vossos homens forem para a noite das urbes não há perigo que vos atormente. Sendo rara a surtida, liberem-nos com a vossa bênção. Importa recordar que no exercício da conjugalidade, os parceiros estão isentos de autorização em papel timbrado e devidamente assinado pelo outro na satisfação de vontades consensuais. Fora de causa, dizeres alfinetados, «trombas» na ida e/ou à chegada. Não esqueçam - somos utentes de fama e proveito no requinte dos nossos amuos. Nos silêncios. Na recusa ao diálogo pacífico. Na lâmina cortante em que nos transformamos caso atrevam fuga aos limites do nosso desagrado: autoestrada com três faixas nos dois sentidos. Impõe-se desmentido. Obedecer a Darwin na evolução do pensar que dita comportamentos.

 

À laia de favor ao «eu» feminino, a noitada apetite raro não merece intolerância expressa num voltar de costas quando 'pé-ante-pé' regressam ao espaço domesticado. Mais defendo: salvo fedor etílico que recomende enfiá-los em duche de água fria para satisfazermos o legítimo direito a sono arejado, cheguem sóbrios ou alegrotes, a escapada pede mútua curtição e alguns «ses». Se desejada pelos queridos. Se chegámos antes. Se insónia nos assarapantou. Cumpridos estes itens, riso ou lamento genuíno na narrativa do acontecido. Merecem pela desigualdade - eles podres de cansaço, nós finas como alhos. Quando calha, resulta em momento alto (…)

(…) deuses, quanto gozo! Que pico histórico na «mornice» diária! Aos 'danados para a brincadeira' e sensatos no que é ou não legítimo a respetiva saber - direito que lhes assiste e responde ao atávico pensar masculino sobre a nossa virginal ignorância (“uns tansos!”, exclamamos para dentro) – aconselho-vos (…)

 

(…) cujo significado é: _ "Olha este parvo!" Para aqueles bem providos em casa ou no trabalho, as referidas não valem um Trincadeira Reserva. Para melhor, têm a respetiva e a Clotilde Micro-ondas do backoffice (…)

 

(…) Pensem, congéneres! Não tendo amásia disponível, serão as conjugadas espertalhonas a ter noite de truz. Nem mais!

 

Nota – para sorrir um pouco, texto integral aqui.

 

CAFÉ DA MANHÃ

 

publicado por Maria Brojo às 07:55
link | favorito
Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

últ. comentários

Olá Tudo bem?Faço votos JS
Vim aqui só pra comentar que o cara da imagem pare...
Olá Teresa: Fico contente com a tua correção "frei...
jotaeme desculpa a correcção, mas o rei freirático...
Lembrai os filhos do FUHRER, QUE NASCIAM NOS COLEG...
Esta narrativa, de contornos reais ou ficionais, t...
Olá!Como vai?Já passaram uns meses... sem saber de...
continuo a espera de voltar a ler-te
decidi ontem voltar a ser blogger, decidi voltar a...
Autor que não foi possível identificar: Andrew Atr...

Julho 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

pesquisa

links

arquivos

tags

todas as tags

subscrever feeds