Sábado, 18 de Janeiro de 2014

QUANDO AS AZEITONAS SUMIRAM

 

  

Michael Godard 

 

Há vinte anos durava o casamento. “Por paixão”, afiançava ele. Não houve crise dos três, sete ou nove anos. Ou não dera por elas – “coisas de mulheres amuadas cujas razões deixam secretas e um gajo não adivinha nem entende”. Pelo sim, pelo não, dava-se por culpado e apaparicava-a até à volta da normalidade. “Uma mulher gosta de dizer às amigas: _ Aprendeu a lição e anda à minha roda como um cordeirinho. Fazia-lhe as vontades por umas horas ou um dia e a coisa resolvia-se.”

 

“Quando vieram os filhos, ela não via outros sóis ou luas. Como se eu tivesse cumprido a missão e só fosse preciso como pagante, tarefeiro e pronto-socorro de avarias. Tudo bem, pensava; a vida dos casais é assim e, seguro de assinar o ponto conjugal e trazer bem-estar à família, não seriam alguns imperativos da carne por fora a beliscarem o amor que lhe tinha. Miúdos mais crescidos, economato de vento em popa, julgava de volta à mulher a alegria que me apaixonara. Iludi-me. O que veio foi o ramerrão. Um nevoeiro frio e espesso. A dose massiva das enxaquecas. Pelas culpas que arrastava e pela família, conformei-me.”

 

“Estranhei a mudança na manteiga – um sucedâneo magro e ensosso. Desapareceram as bolachas que eu trincava ao serão. O sumo do meu pequeno-almoço sofreu um downgrade - marca branca do supermercado. Quando sumiram as azeitonas quis saber a razão – «ninguém as come excepto tu. Compra-as! E não te esqueças de levar o meu carro à revisão e mandar vir o homem para tratar do jardim e da piscina». Voltei à estratégia antiga. Num fim-de-semana e numa segunda-feira ficou tudo num brinco, excepto as farruscas da nossa vida. Não havia passado uma dúzia de dias, trouxe-me o papel do divórcio. Murro seco. Dobrei-me na dor. No pesadelo. Mas assinei tudo. Fui um gajo porreiro. Hoje, sei: fodeu-me com aquela da revisão, do jardim e da piscina.”

 

CAFÉ DA MANHÃ

 

publicado por Maria Brojo às 09:00
link | Veneno ou Açúcar? | favorito

últ. comentários

Olá Tudo bem?Faço votos JS
Vim aqui só pra comentar que o cara da imagem pare...
Olá Teresa: Fico contente com a tua correção "frei...
jotaeme desculpa a correcção, mas o rei freirático...
Lembrai os filhos do FUHRER, QUE NASCIAM NOS COLEG...
Esta narrativa, de contornos reais ou ficionais, t...
Olá!Como vai?Já passaram uns meses... sem saber de...
continuo a espera de voltar a ler-te
decidi ontem voltar a ser blogger, decidi voltar a...
Autor que não foi possível identificar: Andrew Atr...

Julho 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

pesquisa

links

arquivos

tags

todas as tags

subscrever feeds