Sexta-feira, 27 de Agosto de 2010

ÂNGULO LIMITE NUM COPO DE RISO

 

A cegonha, qual bússola tresloucada, desdenha o Norte e do Sul quer saber. Nele, a refracção da luz pela diferente refrangência dos meios quebra a estaca direita. Revela o ângulo limite que antecede o raio luminoso rasante com o espelho fluido, ténue na imagem à direita do objecto imerso. Além muito, a estrela-do-mar era vida.

 

 

Os frutos do mar vazios secaram no algodão. Parte de saco, assento ocasional quando os pés sentem os quilómetros palmilhados, azul sobre azul, azul sobre areia molhada.

 

 

E no regresso, já o sol e a cegonha apontavam a tarde, a mulher celebrava com um copo de riso a maré cheia de beleza. Dispôs-se à partilha do mundo das pequenas coisa e manias com quem delas, justamente, nada espera ou limporta saber.

 

CAFÉ DA MANHÃ

 

 

publicado por Maria Brojo às 08:54
link | Veneno ou Açúcar? | ver comentários (29) | favorito

últ. comentários

Olá Tudo bem?Faço votos JS
Vim aqui só pra comentar que o cara da imagem pare...
Olá Teresa: Fico contente com a tua correção "frei...
jotaeme desculpa a correcção, mas o rei freirático...
Lembrai os filhos do FUHRER, QUE NASCIAM NOS COLEG...
Esta narrativa, de contornos reais ou ficionais, t...
Olá!Como vai?Já passaram uns meses... sem saber de...
continuo a espera de voltar a ler-te
decidi ontem voltar a ser blogger, decidi voltar a...
Autor que não foi possível identificar: Andrew Atr...

Julho 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

pesquisa

links

arquivos

tags

todas as tags

subscrever feeds