Quarta-feira, 27 de Outubro de 2010

LASCAS DE ESTUQUE

Autor que não foi possível identificar

 

As corporações agitam-se: a da construção civil, dos bancos, dos funcionários da Caixa Geral de Depósitos, da Carris, da TAP e outras muitas. A primeira pretende transferir para a reabilitação urbana cascata de lucros que a paragem imobiliária de compra e venda diminuiu. Bem precisam as cidades de banhos de restauro que devolvam condições de habitabilidade para tantos que as arrendam, alguns dos mais desprotegidos pela sociedade. De urbes porcas, feias e más tem havido fartura.

 

Requalificar bairros, deles os quarteirões, é conferir dignidade aos inquilinos antigos. A paga mensal ao senhorio é pequena e a pescada em arco que na boca retém a barbatana da cauda justifica que também os proprietários não arrecadem bastante para as obras precisas. Enquanto o tecto não cai em cima dos que dormem e os protege dalguma chuva e frio, enquanto as lascas do estuque pendem como lustres desconchavados e a água da torneira escoa amarela pela ferrugem/passagem, é tempo de sobrevivência indigna. E os dias da população envelhecida que habitam centros históricos são passados à janela, ou na cama, ou à porta com os vizinhos.

 

Dizem típicos lugares assim da cidade, do país. Constam dos roteiros turísticos. A tiracolo, passam câmaras de retratos ou de filmes amadores depois exibidos à família e amigos. Os protagonistas reduzidos a zoologia rara. Que nunca foram para desgraça colectiva.

 

CAFÉ DA MANHÃ

 

publicado por Maria Brojo às 07:52
link | Veneno ou Açúcar? | ver comentários (24) | favorito

últ. comentários

Olá Tudo bem?Faço votos JS
Vim aqui só pra comentar que o cara da imagem pare...
Olá Teresa: Fico contente com a tua correção "frei...
jotaeme desculpa a correcção, mas o rei freirático...
Lembrai os filhos do FUHRER, QUE NASCIAM NOS COLEG...
Esta narrativa, de contornos reais ou ficionais, t...
Olá!Como vai?Já passaram uns meses... sem saber de...
continuo a espera de voltar a ler-te
decidi ontem voltar a ser blogger, decidi voltar a...
Autor que não foi possível identificar: Andrew Atr...

Julho 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

pesquisa

links

arquivos

tags

todas as tags

subscrever feeds