Sábado, 7 de Julho de 2012

EMPREENDEDORISMO

 

 Ana Gralheiro

 

"Com a descoberta do Bosão de Higgs fica mais fácil explicar a formação do Universo do que a formação do Relvas.”

 

João Moreira de Sá

 

"Aviso: já chegaram Bosões de Higgs às lojas chinesas."

 

Pedro Rolo Duarte

 

Miguel Relvas é encontrado a jantar sozinho num mega-restaurante da moda e perguntam-lhe o que está ali a fazer sozinho. Responde tranquilo:
- É o jantar de final de curso.

 

Lauro António

 

"_ Então já tiraste o teu curso hoje, na Lusófona?

_ Hoje não. Só tive meia hora para um mestrado."

 

Daniel Luís

 

"- Tenhamos esperança: se uma licenciatura Relvas dura apenas um ano, pode ser que um governo (com o) Relvas dure também um ano e picos...

 

- Ex-alunos da Lusófona querem esclarecimentos rápidos da universidade sobre as condições em que o ministro Miguel Relvas obteve uma licenciatura em um ano. Reitor da Lusófona já disse que rápido, rápido, só mesmo a licenciatura de Relvas...

 

- Imaginemos que Relvas tinha tirado o Mestrado em Sexologia na Universidade Lusófona em apenas 69 dias. Será que a Lusófona alegaria também que tal se devia ao extenso 'currículo profissional' do ministro assim como à sua riquíssima experiência de vida?"

 

Paulo Querido

 

"Relvas, como não podia deixar de ser, sairá "mais forte" do caso da sua licenciatura equivalente. O governo sairá mais forte igualmente: enquanto gozamos o seu ministro equivalente, prossegue o desbaste do que resta da economia portuguesa. Quem sai mais fraco: o país, sim, mas sobretudo as universidades privadas. A bandalheira, para não dizer fragilidade, da certificação superior por catálogo expõe-se no seu esplendor."

 

Nota: http://www.ionline.pt/portugal/conheca-notas-miguel-relvas-obteve-na-universidade-lusofona

 

CAFÉ DA MANHÃ

 

publicado por Maria Brojo às 11:31
link | Veneno ou Açúcar? | ver comentários (5) | favorito (1)
Segunda-feira, 28 de Março de 2011

DO ‘MUITO GRANDE’ PARA O ‘MUITO PEQUENO’

Autores que não foi possível identificar

 

Ontem, a Ana sugeriu dissertação sobre ‘Química Quântica’. Vem a propósito por 2011 ser, por decreto das Nações Unidas, o Ano internacional da Química Pura e Aplicada. Neste ano, “é comemorado o centésimo aniversário do Prémio Nobel conquistado por Marie Sklodowska Curie que dignifica as mulheres que fazem ciência.” Dizem os organizadores: _ “A Química é fundamental para a nossa compreensão do mundo e do cosmos. As transformações moleculares são centrais para a produção de alimentos, medicina, combustíveis e inúmeros produtos manufacturados e naturais.” Quem imaginaria a delegação da Etiópia como responsável pelo encaminhamento da sugestão apoiada por 35 países!... «Pré-conceito» puro e aplicado, como se não florescessem génios e gentes que pensam irrepreensivelmente em qualquer lugar do mundo.

 

‘Então é assim’: _ Não existe ‘Química Quântica’, mas sim Física Quântica (Mecânica Quântica) por contraposição à Mecânica Clássica inaugurada por Newton. A nova concepção foi desenvolvida nos anos 20-30 do século finado há uma década.

 

Descoberto o ‘muito pequeno’, protão, electrão e neutrão (1931), não se submetia ao conhecimento simultâneo da posição e velocidade. Pior: sabida a velocidade, a posição ficava omissa, sendo o inverso verdadeiro. E porquê? Pelo ínfimo tamanho e massa, bastava a incidência da luz e dos fotões que a compõem, estes como gentes em carreira processional rumo à capela da devoção, para do choque com os electrões resultar velocidade alterada. Simplificando: configure no real do ‘muito grande’ mesa de bilhar ou de snooker. Da colisão de uma bola com outra, ambas mudam o lugar ocupado e a velocidade pela força transmitida pelo taco num dado intervalo de tempo. Avaliando a intensidade da força, conhecido o intervalo de tempo e o deslocamento das bolas, nada impede saber a velocidade tomada. A posição, essa era conhecida desde o início do jogo. Se imaginar que o taco é um fotão, as bolas como partículas elementares da matéria, de duas, uma: ou ilumina a ‘mesa’ e vê a posição inicial, ou apaga a luz e pelas colisões sabe a velocidade por cada uma adquirida. Consequência: desenvolver uma nova Mecânica capaz de fornecer dados sobre os valores discretos (descontínuos) da energia e a distribuição espacial dos electrões caracterizada por uma «função-probabilidade» - apenas sabemos qual a região do espaço onde é provável encontrar o electrão no seu movimento incessante à volta do núcleo.

 

A Mecânica Quântica responde ao modelo da concepção do átomo que temos. Mas é um modelo. Outros existiram e foram destronados, apesar dos autores terem sido premiados com o Nobel da Química. Fácil imaginar novas alternativas conceptuais sendo detectado o bosão de Higgs. Óptimas razões para conservar a devida humildade dos investigadores e divulgadores de ciência.

 

CAFÉ DA MANHÃ

 

publicado por Maria Brojo às 10:17
link | Veneno ou Açúcar? | ver comentários (18) | favorito
Quarta-feira, 31 de Março de 2010

A PARTÍCULA DE DEUS

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Autor que não foi possível identificar

 
Piscou uma. Desilusão. Recomeçou. Piscou duas. Ansiedade no compasso de espera. À terceira, foi de vez. O LHC (Large Hadron Collider) respondeu. Os protões, como doudos, iniciaram colisões. Tantas que a maior concentração de energia alcançada pelo homem foi atingida: 7 teraelectrão-volt (TeV). Objectivo: recriar os primeiros microssegundos após o Big Bang, a misteriosa explosão que terá gerado o Universo. Entender, enfim, a origem da massa das partículas elementares e através da luminosidade gerada observar o bosão de Higgs, a ‘partícula de Deus’. Somente ela validará o actual modelo de átomo e a explicação conhecida da estrutura da matéria. Somente ela confirmará o sentido da minha longa divulgação científica. E porque trabalhamos com modelos fundamentados em observações do quase invisível e muitas deduções, a humildade é condição única para, alegremente, arrepiar caminho.

 

Cento e setenta e cinco metros abaixo do solo, os cientistas e técnicos envolvidos no projecto celebraram a rotação dos feixes de protões e núcleos de chumbo no maior acelerador de partículas do mundo. Percorrem, em menos de um ai, os vinte e sete quilómetros do perímetro circular localizado na fronteira franco-suíca, perto de Genebra. A parte do planeta dada a crendices receia esta experimentação. Que, ao competir com a sabedoria divina como a única energia/origem do Universo, acarrete o fim do mundo.

 

Quem, por medo ou esperança nesta marca histórica do homem, pretender seguir os progressos logrados no CERN, pode fazê-lo em http://public.web.cern.ch/public/ ou em http://webcast.cern.ch/lhcfirstphysics/. Ontem, debrucei-me nesta última janela.

 

CAFÉ DA MANHÃ

 

publicado por Maria Brojo às 12:56
link | Veneno ou Açúcar? | ver comentários (4) | favorito

últ. comentários

Olá Tudo bem?Faço votos JS
Vim aqui só pra comentar que o cara da imagem pare...
Olá Teresa: Fico contente com a tua correção "frei...
jotaeme desculpa a correcção, mas o rei freirático...
Lembrai os filhos do FUHRER, QUE NASCIAM NOS COLEG...
Esta narrativa, de contornos reais ou ficionais, t...
Olá!Como vai?Já passaram uns meses... sem saber de...
continuo a espera de voltar a ler-te
decidi ontem voltar a ser blogger, decidi voltar a...
Autor que não foi possível identificar: Andrew Atr...

Julho 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

pesquisa

links

arquivos

tags

todas as tags

subscrever feeds