Terça-feira, 3 de Abril de 2012

CARTA AO DESCONHECIDO


Barbara Cole


Preciso de mimo. Estou, sentir raro, cansada. Esforço de semanas culminou em horas muitas e consecutivas de trabalho. Amanhã é outro «Dê» dia. Tantos detalhes para ultimar!

 

Gostei da fala contigo. Quebrei norma pessoal - liguei eu. Não me arrependi: a voz é tão mais que a escrita! Depois, sou mulher de sentidos e sentir. A escrita como substituta do diálogo é «poucochinha» _ ouvir, pressentir significâncias nas pausas ou interrupções vai além. Ajuda ao conhecimento pelas teclas empobrecido. Insuficiente. Somos tão mais do que saliências premidas!
 

Entendeste-me como desde há anos. Dizem-me forte. Vulnerável também, digo eu. Prezo trocas solidárias e cúmplices. Mimar. Serenidade e explosão que misture arrepios do corpo e da alma. Contraditória? Sempre. Mas tento equilibrío nas vertentes da matriz. Fico em silêncio, se triste. Falo baixo, se zangada. Riso pronto até nesses momentos - basta pequeno 'abracadabra' para o brilho interior regressar.

 

Este escrito pertence à intimidade da mulher cuja voz é, como a de todos, meio de colar o longe/perto. De reflectir com aqueles em quem confia. De apurar o interior treinado anos a fio.

 

CAFÉ DA MANHÃ
 

 

publicado por Maria Brojo às 13:23
link | Veneno ou Açúcar? | ver comentários (2) | favorito

últ. comentários

Olá Tudo bem?Faço votos JS
Vim aqui só pra comentar que o cara da imagem pare...
Olá Teresa: Fico contente com a tua correção "frei...
jotaeme desculpa a correcção, mas o rei freirático...
Lembrai os filhos do FUHRER, QUE NASCIAM NOS COLEG...
Esta narrativa, de contornos reais ou ficionais, t...
Olá!Como vai?Já passaram uns meses... sem saber de...
continuo a espera de voltar a ler-te
decidi ontem voltar a ser blogger, decidi voltar a...
Autor que não foi possível identificar: Andrew Atr...

Julho 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

pesquisa

links

arquivos

tags

todas as tags

subscrever feeds