Sexta-feira, 8 de Novembro de 2013

MULHERES INTELIGENTES E AMORES ROMÂNTICOS

 

    

David Michael Bowers                                          Duy Huynh                             Bing-Xiao

 

Inteligência e falta de esperteza soe andarem juntas. Inteligência pressupõe sentido crítico e raciocínio lógico apurado. Espertos são os burros. Burrice como capacidade para lidar ardilosamente com as sinuosidades do caminho. E lá está o burro da animada série de filmes Shrek para ilustrar o dito: canta e conversa, indiferente ao incómodo alheio. Com o enorme dente traga waffles, bolos, suflé de coco com calda de manga e tortas com canela. Disfarça a cobardia com ataques de pânico em situações de emergência. Um sabido!

 

No mundo, reinam os espertos. Aos inteligentes cabe a elevação do espírito. Acumulando verticalidade no estar e condição feminina, têm garantida a ruína sentimental. Figura maior do teatro português costuma dizer: “as mulheres inteligentes estão fodidas.” Confirmo. O macho lusitano puro-sangue prefere fêmeas submissas. Preferencialmente, simulando-se desprotegidas. Astuto, proclama o contrário – “que não, que mulher com miolos dá “pica” e abre o apetite.” Dará, mas sacia-o ao primeiro, quiçá segundo, desmontar racional das cordas do «violino» de cujo arco ele jamais pôs em dúvida a eficácia.

 

Mulher informada, que o mundo não desista de entender, de duas, uma: ou é “boa com’ó milho” e releva pelos dons curvilíneos o vício de pensar, ou da fama de “chata pra caraças” não se livra. Depois, mulher inteligente não é portátil – não vai onde tem de ir porque as convenções a obrigam, não sorri se o interlocutor é cretino, recusa doses de tédios só por darem arranjo social. Leva mais longe a desgraça: diz o que pensa, conquanto respeite o bom senso. É autónoma – dispensa suseranos e cavaleiros-andantes. Está disposta a dar tudo para tudo receber. Gosta de argumentar e ouvir se a divergência acontece. Recusa o «sim» porque é fácil – ou o misto de razão e coração lho ditam, ou ficará por dizer.

 

O mercado dos afetos românticos é difícil para mulher assim. Homem distraído no estar, seja paquete de serviços ou doutor, teme-a e ela não o quer. Por saber o que deseja e precisa, transigir envolve custos que porventura já pagou e não ousa repetir. E eles desdenharão como a raposa das uvas: afinal, eram verdes quando somente estavam altas.

 

CAFÉ DA MANHÃ

 

publicado por Maria Brojo às 09:37
link | Veneno ou Açúcar? | favorito

últ. comentários

Olá Tudo bem?Faço votos JS
Vim aqui só pra comentar que o cara da imagem pare...
Olá Teresa: Fico contente com a tua correção "frei...
jotaeme desculpa a correcção, mas o rei freirático...
Lembrai os filhos do FUHRER, QUE NASCIAM NOS COLEG...
Esta narrativa, de contornos reais ou ficionais, t...
Olá!Como vai?Já passaram uns meses... sem saber de...
continuo a espera de voltar a ler-te
decidi ontem voltar a ser blogger, decidi voltar a...
Autor que não foi possível identificar: Andrew Atr...

Julho 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

pesquisa

links

arquivos

tags

todas as tags

subscrever feeds