Segunda-feira, 1 de Setembro de 2014

PINUP, REVOLUÇÃO CULTURAL, AL MOORE

   

Al Moore, “Esquire Girl Calendar” (1951)                                                                                  Al Moore, “Perfumer's Daughter” (1953)

 

Após a Segunda Guerra Mundial, o estilo pinup gerou nova forma de publicidade. Foi possível colocar uma jovem atraente a vender cigarros ou passagens aéreas com uma piscadela de olho e um sorriso. Parte do fascínio e apelo da modelo pinup foi a sensibilidade de Al Moore a tornar “girl next door” - as mulheres queriam imitá-la, enquanto os homens aspiravam a «maluquices» com ela e poderem levá-la sem receio a casa da mãe. “Artistas Pinup” como George Petty e Alberto Vargas tinham como modelos mulheres glamourosas e sedutoras, quase deusas inatingíveis. Quando em 1946, Al Moore substitui Vargas na revista masculina “Esquire”, as suas pinup mais realistas foram tiro certeiro nas atenções gerais. 

 

O caminho de Moore enquanto artista plástico não foi convencional. Crescido em Illinois, frequentou a Universidade de Northwestern, a Academia de Arte de Chicago e o Instituto de Artes antes de se mudar para Nova Iorque. Durante uma temporada na década de 1930, jogou futebol nos Chicago Bears. Quem poderia prever que o “boy next door” americano seria lembrado até hoje?

 

       

 

Antes da Segunda Guerra Mundial, Moore ilustrou várias campanhas publicitárias com a finalidade de ajudar o esforço de guerra. Após a guerra, Moore focou-se na arte pinup e a “Esquire” foi rápida em notá-lo. O estilo/assinatura de Moore - sorriso tímido e encoberto o suficiente - foram um sucesso. Acabara de criar a "Garota Esquire". Passou a ilustrar calendários, enquanto trabalhava para a revista. As pinup de Moore eram divertidas, marotas e, de imediato, foram combustível para fantasias masculinas. Nos calendários mensais da “Esquire, apresentava sempre uma modelo nova, captando a sexualidade nascente do tempo. Os seus trabalhos foram e são objeto de interesse pelos colecionadores.

 

CAFÉ DA MANHÃ

 

publicado por Maria Brojo às 11:34
link | Veneno ou Açúcar? | favorito

últ. comentários

Olá Tudo bem?Faço votos JS
Vim aqui só pra comentar que o cara da imagem pare...
Olá Teresa: Fico contente com a tua correção "frei...
jotaeme desculpa a correcção, mas o rei freirático...
Lembrai os filhos do FUHRER, QUE NASCIAM NOS COLEG...
Esta narrativa, de contornos reais ou ficionais, t...
Olá!Como vai?Já passaram uns meses... sem saber de...
continuo a espera de voltar a ler-te
decidi ontem voltar a ser blogger, decidi voltar a...
Autor que não foi possível identificar: Andrew Atr...

Julho 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

pesquisa

links

arquivos

tags

todas as tags

subscrever feeds