Quarta-feira, 8 de Julho de 2009

DOIS FUNERAIS E NENHUM CASAMENTO

 

Jennifer Janesko

 

Que saiba, nenhum dos meus amigos tenciona casar. Que saiba, e porque a minha leitura das revistas cor-de-rosa se limita a desfastio no cabeleireiro, notáveis reais ou de faz-de-conta também não contraíram núpcias. Aliás, o entretém de ver bonecos nos pomposos hairstyles é frequentemente impossível _ unhas pintadas de fresco, arrepelões do cabelo deixam-me com disposição canina. Sem paciência para nada além do “tirem-me daqui!”.
 

Ontem, foram a enterrar dois nomes/instituições com prestígio planetário. Sobre o do Michael, depois reduzido a cinzas, não escreverei mais do que isto. Os fãs que vertam lágrimas e se encarreguem de construir o inevitável mito – quem morre cedo e é famoso arrisca-se a perpétuos festins nostálgicos. O último desfile de Christian Lacroix é funeral de uma casa de alta-costura que durante vinte anos enfeitiçou inúmeras mulheres e menos homens _ pagar a factura de entusiasmo caro da parceira não deixa boa memória. 

 

Duas centenas de privilegiados assistiram à apresentação da última colecção. No caso, Outono/Inverno. “Como um esboço, como um desenho prévio da pintura", disse Christian Lacroix. Convite preto e cinza de acordo com o luto pela casa que fenece se nenhum comprador surgir até final de Julho. Manequins desfilaram à borla. As jóias que as enfeitaram foram emprestadas por amiga rica do criador de moda. Dos 125 funcionários, as costureiras há muito não recebem paga.

 

As dificuldades que a Maison Lacroix experimenta devem-se, parcialmente, ao facto do estilista/artista ter recusado transformar a sua obra artesanal numa simples marca produzida nos confins do mundo. Renegou os logotipos impressos, a facilidade duma griffe passível de contrafacção vendida nos outlets e feiras. Quem do sonho não desiste, arrisca o pescoço. Aconteceu. De novo. 

 

Mas Christian Lacroix luta. Incansável, sopra as brasas para que não seja perdida a chama de luxo e glamour da alta costura francesa que assina.

 

CAFÉ DA MANHÃ
 

Four Weddings And A Funeral

publicado por Maria Brojo às 00:03
link | Veneno ou Açúcar? | favorito

últ. comentários

Olá Tudo bem?Faço votos JS
Vim aqui só pra comentar que o cara da imagem pare...
Olá Teresa: Fico contente com a tua correção "frei...
jotaeme desculpa a correcção, mas o rei freirático...
Lembrai os filhos do FUHRER, QUE NASCIAM NOS COLEG...
Esta narrativa, de contornos reais ou ficionais, t...
Olá!Como vai?Já passaram uns meses... sem saber de...
continuo a espera de voltar a ler-te
decidi ontem voltar a ser blogger, decidi voltar a...
Autor que não foi possível identificar: Andrew Atr...

Julho 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

pesquisa

links

arquivos

tags

todas as tags

subscrever feeds