Terça-feira, 25 de Junho de 2013

CONTO SEM ACRESCENTO DE PONTOS

 

Gigi Liverant

 

Reunião tardia. Noite descida sobre Lisboa. Eixo Norte/Sul desentupido. À ida. Pela vinda, empanturrado no acesso de Campolide.

 

Pontual, fruiu das velas e do chá quente e dos bolinhos miúdos que aqueciam o ambiente austero. Não lhe sentiu o peso no breu urbano por conhecê-lo leve durante o dia.

 

Ela sentava-se num dos sofás forrados com pele castanha. Sorriso fácil, presença afável. Por tudo, linda. Mãe competente de trindade juvenil. Profissional exemplar. Discreta, levantou-se. Sussurrou a razão:
_ Pela tua simpatia, pelo apoio quando precisei. É símbolo, não valor. Sei que o lerás tal qual pretende ser.

 

Abraço forte, emoção surpresa. Afeto na ponte infinita do amplexo. Dourado o embrulho pequeno. Passado de mão para mão. Deixou-o por abrir – não havia tempo nem sentido no interromper do decisivo. Guardou-o na pasta/apêndice, entalado entre o computador mínimo, dossiês e «micas» empapeladas. Gesto selado pelas faces que os lábios afloraram. Anos partilhados no mesmo local de trabalho. De novo, o muito perto feito essência. Rara. Fragrante.

 

Quando largou os pesos dependurados no ombro e nos braços, repetiu das chegadas os hábitos. Procurou o presente entretanto amarfanhado. Cautelosa, suprimiu os dourados. A caneta surgiu como potro de raça capaz de, num ápice, galgar o traço ou a palavra até campinas sem fim. Juntou-a aos bens raros que guarda, dá serventia, não se diluam numa gaveta e sem préstimo aromas de momentos felizes. 

 

CAFÉ DA MANHÃ

 

publicado por Maria Brojo às 07:20
link | Veneno ou Açúcar? | ver comentários (1) | favorito

últ. comentários

Olá Tudo bem?Faço votos JS
Vim aqui só pra comentar que o cara da imagem pare...
Olá Teresa: Fico contente com a tua correção "frei...
jotaeme desculpa a correcção, mas o rei freirático...
Lembrai os filhos do FUHRER, QUE NASCIAM NOS COLEG...
Esta narrativa, de contornos reais ou ficionais, t...
Olá!Como vai?Já passaram uns meses... sem saber de...
continuo a espera de voltar a ler-te
decidi ontem voltar a ser blogger, decidi voltar a...
Autor que não foi possível identificar: Andrew Atr...

Julho 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

pesquisa

links

arquivos

tags

todas as tags

subscrever feeds