Quarta-feira, 10 de Novembro de 2010

IMPÉRIO DO ‘TEM QUE SER’

Nathalie Picoulet, Mauro Cano

 

Por razões profissionais e voluntárias, veio recambiada para Lisboa. Aluguer de casa, mudança dos púcaros e tarecos, novo ambiente de trabalho. Cidade por dominar nos atalhos e desvios e nos caminhos d’alcatrão que dum lugar levam a outro. Treina percursos, acabada jornada de trabalho. Filha pequena a 300km de distância por ter iniciado actividades lectivas ainda a mãe não mudara do ninho quente que às duas comprazia. Uma vez por mês, está com a sua menina na cidade donde veio, custos descontados no parco vencimento de licenciada com pós-graduações no cume das ondas científicas; na outra é o pai, ex-marido, que lha traz. A renda paga ao senhorio pela casa digna que de Janeiro em diante, acabado o primeiro período escolar, alojará mãe e filha. Do pré, leva a maior fatia. Descompensada afectivamente pela ausência da criança prolongamento do útero e amor maior. Ouve-a ao telefone. Umas vezes chora, raramente espraia no rosto sorriso - apavora-a perder o cordão que unia ambas.

 

Procura escola para a filha. Sobreviver capital na capital. Compatibilizar horário de trabalho com o cuidado de estar na escola a tempo e horas para a menina não sentir esperas de falso abandono. Mulher só na moura urbe. Sem rede de apoio familiar. E quando vierem febres infantis? Faltar pode, mas não deve sob pena de danos profissionais que à pequena família acrescente reveses. Quotidiano difícil para mães e pais isolados com filhos a cargo. Famílias monoparentais, classificação useira. Nelas, o império do ‘tem que ser’ substitui escolhas. Valem, como âncora, afectos - «novam» e renovam o brilho dos dias.  

 

CAFÉ DA MANHÃ

 

publicado por Maria Brojo às 07:42
link | Veneno ou Açúcar? | ver comentários (12) | favorito

últ. comentários

Olá Tudo bem?Faço votos JS
Vim aqui só pra comentar que o cara da imagem pare...
Olá Teresa: Fico contente com a tua correção "frei...
jotaeme desculpa a correcção, mas o rei freirático...
Lembrai os filhos do FUHRER, QUE NASCIAM NOS COLEG...
Esta narrativa, de contornos reais ou ficionais, t...
Olá!Como vai?Já passaram uns meses... sem saber de...
continuo a espera de voltar a ler-te
decidi ontem voltar a ser blogger, decidi voltar a...
Autor que não foi possível identificar: Andrew Atr...

Julho 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

pesquisa

links

arquivos

tags

todas as tags

subscrever feeds