Segunda-feira, 15 de Julho de 2013

ONDE SE FALA DE HENRIQUE VIII, DAS BOLENA, CROMOSSONAS E GENES

The Wives of Henry VIII

 

Séculos e mais séculos durante os quais as mulheres foram culpabilizadas pelos respetivos por não gerarem filhos homens. Como rés da incapacidade, algumas houve sujeitas ao repúdio, outras obrigadas a conviver pacificamente com o saber das amásias dos maridos em busca de varão que os orgulhassem. Desculpas, que isto da tendência masculina a povoar cidades está no sangue, literal e metaforicamente. Não seja aqui lida crítica aos machos, visto, em idos, o maior recato feminino ser devido ao carrego durante nove meses do fruto de momentos prazenteiros ou nem isso, já que o hábito masculino do “veni, vidi, vici” de então ainda hoje ter seguidores. As dores do parto, o risco de morte, a hipocrisia religiosa/social, razões outras para a seletividade das mulheres em permutas de sémen com donos vários.

 

Vem a propósito lembrar Henrique VIII. O homem, bem vistas as coisas, foi um carrasco e um desgraçado que contraria a tese de apenas predador convicto. O casamento com a cunhada viúva, Catarina de Aragão, envolvera negócios como soía, o Papa e a obstinação dela em ostentar a coroa real. De filhos varões, nada. O rei alivia a mágoa numa emboscada das carnes frescas das irmãs Bolena. Maria, a mais nova, amou e foi amada por Henrique. Não fora gravidez prematura e de risco, outro seria o rumo da história de Inglaterra. Certo é no período de intocabilidade pré-parto de Maria, para evitar que dela fugisse a atenção real é armada marosca com a Bolena mais velha, Ana, ambiciosa e sabidona que desejava ter o rei na sua trela. Henrique cai na trapaça, repudia Catarina, fere de morte a relação com o Papa tendo o fito de possuir Ana que sem casamento não se lhe entregava. Entretanto, já Maria dera à luz herdeiro robusto. Obcecado com a irmã, o facto passa-lhe ao lado. Ora, Ana não era flor cheirosa. Tantas fez, antes e depois de ter dado à luz natimorto, que a cabeça rolou. No dia seguinte, Henrique VIII que vinha arrastando o gibão em torno de Joana Seymour torna-a oficialmente sua noiva e casa dez dias depois. O desejado filho homem chega enfim. Em resumo: o “rei absoluto” inglês não era fértil em cromossomas XY (masculinos) mas em cromossomas XX (femininos) e a Igreja Anglicana nasce à custa disso. Fosse então conhecido que o sémen também determina a tendência para a obesidade e para a diabetes, teriam cantado mais baixo os galos nas capoeiras.

 

Como curiosidade, o número de cromossomas nalgumas espécies: o centeio tem 14, a cobaia, 16, o caracol, 24, a minhoca, 32, (...)

 

Nota: publicado no todo, aqui.

 

CAFÉ DA MANHÃ

 

publicado por Maria Brojo às 14:35
link | Veneno ou Açúcar? | favorito

últ. comentários

Olá Tudo bem?Faço votos JS
Vim aqui só pra comentar que o cara da imagem pare...
Olá Teresa: Fico contente com a tua correção "frei...
jotaeme desculpa a correcção, mas o rei freirático...
Lembrai os filhos do FUHRER, QUE NASCIAM NOS COLEG...
Esta narrativa, de contornos reais ou ficionais, t...
Olá!Como vai?Já passaram uns meses... sem saber de...
continuo a espera de voltar a ler-te
decidi ontem voltar a ser blogger, decidi voltar a...
Autor que não foi possível identificar: Andrew Atr...

Julho 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

pesquisa

links

arquivos

tags

todas as tags

subscrever feeds