Sábado, 17 de Março de 2012

ENTRE DENTES

Tom Alberts, Paul S. Brown

 

Tinha de existir razão para o encarquilhado sorriso dos portugueses. Sim, sei, a nostalgia e a diluída crença em melhores dias ajudam a esborratar o riso. Mas mais havia. Tinha de haver. Quando um compatriota anónimo arredonda para cima os cantos dos lábios, a paisagem é, não raro, devastadora - dentola amarelada, vazios ocupados por gengivas descaídas, próteses bailarinas em risco de serem cuspidas, ferros dentários nas crianças, nos «andropausas» e «menopausas», estes rangendo dúvidas existenciais sobre o desempenho sexual das hormonas resistentes. Arreganhar os dentes não é fácil para os portugueses. Talvez por isso prefiram falar por entre dentes, dar com a língua nos dentes, dar ao dente ainda que o petisco custe os dentes da boca e só caiba na cova de um dente. Aguçar o dente, fazem menos mal, porém muitos excluíram dos dias agarrarem-se com unhas e dentes às prioridades pessoais.

 

Quando honesto recém-chegado ao estado adulto que a tempo e horas teve papeira, varicela, cabeça rachada por murraça em briga escolar, cuida de emprego com salário digno, contrato que legalize a procriação, comida a horas, roupa lavada e casa de banho sem tapete de pêlos, julga que durante anos a fio as favolas estão seguras, eis que a inutilidade dos sisos intervem. E doem e moem e desfazem no indivíduo a convicção de vigor imune a ridículos de cotas que, no mínimo, três vezes ao dia esfregam os dentes nas mãos.

 

Afinal, a precária e mal cuidada dentição lusitana foi vítima de pasta de dentes falsificada. Não qualquer uma, mas a tradicional Golgate que durante anos e anos branqueou o sorriso de todos. A boa fé do povo foi ludibriada, a marca enxovalhada e, quiçá, para sempre saída dos copos-de-dentes perfilados sob telhado de pó ao lado das escovas do cabelo encardidas, perfumes e amostras de produtos com pedigree em dia de sorte ofertados. Falsificar a Golgate é tão, mas tão grave, que semelhante só galo de Barcelos pintado à moda do falecido Warhol.

 

CAFÉ DA MANHÃ

 

publicado por Maria Brojo às 12:43
link | Veneno ou Açúcar? | ver comentários (2) | favorito

últ. comentários

Olá Tudo bem?Faço votos JS
Vim aqui só pra comentar que o cara da imagem pare...
Olá Teresa: Fico contente com a tua correção "frei...
jotaeme desculpa a correcção, mas o rei freirático...
Lembrai os filhos do FUHRER, QUE NASCIAM NOS COLEG...
Esta narrativa, de contornos reais ou ficionais, t...
Olá!Como vai?Já passaram uns meses... sem saber de...
continuo a espera de voltar a ler-te
decidi ontem voltar a ser blogger, decidi voltar a...
Autor que não foi possível identificar: Andrew Atr...

Julho 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

pesquisa

links

arquivos

tags

todas as tags

subscrever feeds