Sexta-feira, 16 de Agosto de 2013

MALGAS E NALGAS

 

Oscar Durand                                                                                                  John Kacere

 

Malgas e nalgas. Nos povoados do Interior Centro, malgas de sopa saciaram fome a muita gente. Tigelas eram coisa fina. Muito mais finas não sei!, conquanto no presente ainda dêem arranjo - sopa fria e cereais odeio esparramá-los em pratos. Não aconchegam o que come primeiro: os olhos.


As nalgas como palavra são malgas sem uma perna. Nádegas de facto. Curvas e cheias; calotas que se querem firmes. Mulher de nalgas apetecíveis, no oscilar entaladas por saia fina, deixa muito homem escorrendo água pelos beiços. Idos houve em que os garotões simulavam desequilíbrios para tombarem contra os alqueires de oscilação gémea. E quando tocar nas nalgas era lubricidade (im)pensável, trocava-se o ato pela ameaça: “do que ela precisa sei eu, de umas boas nalgadas é o que é!””

Solteiros e mal «maridados» muitas nalgas provaram nas malhadas espevitadas pela água dos lameiros. As saias subiam e as calças baixavam num entra-e-sai tão corrido que o restolhar da erva mal parecia ter acontecido. Não fora o escarlate das faces, ou tremuras a bambarem as pernas, ninguém daria por nada. Mas dava. Meio pequeno tem destas coisas - passar despercebido não existe. Cheirando a escândalo ou a prática devassa, o “disse que disse” é mais rápido que Pai Nosso.

 

Para as malvas, reputações, nas nalgas, o proveito.

 

Nota: texto publicado aqui.

 

CAFÉ DA MANHÃ

 

publicado por Maria Brojo às 08:01
link | Veneno ou Açúcar? | favorito

últ. comentários

Olá Tudo bem?Faço votos JS
Vim aqui só pra comentar que o cara da imagem pare...
Olá Teresa: Fico contente com a tua correção "frei...
jotaeme desculpa a correcção, mas o rei freirático...
Lembrai os filhos do FUHRER, QUE NASCIAM NOS COLEG...
Esta narrativa, de contornos reais ou ficionais, t...
Olá!Como vai?Já passaram uns meses... sem saber de...
continuo a espera de voltar a ler-te
decidi ontem voltar a ser blogger, decidi voltar a...
Autor que não foi possível identificar: Andrew Atr...

Julho 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

pesquisa

links

arquivos

tags

todas as tags

subscrever feeds