Sábado, 29 de Agosto de 2009

TRIQUINIS E CHAMPANHE

 

 

 

 

Os triquinis estão «in». Hoje, como ontem. Os criadores de moda impingem-nos verões sucessivos. Declaram-nos must de elegância nas bordas marítimas. Seja pelas bordas que ocultam, seja pela licra dos seios ao umbigo que recorta na pele o dourado ganho ao sol, seja pelo incómodo de trapo molhado na barriga que demora a secar, não atraem as mulheres. Aos homens também não por razões em tudo diferentes. Podem ser bonitos, enfeitados com brilhos mil, próprios para caminhadas quando o sol pestaneja com sono. Não chega. Todos preferem a simplicidade do bikini ou o prático, não menos elegante, fato de banho.

 

Em Portugal, a história do triquini ronda quarenta anos. Na passagem do regime moralista que cobria os corpos à beira do mar à libertação do corpo da mulher nos anos setenta, o «três peças numa» foi transição envergonhada. Era o tempo dos guardas marítimos admoestarem quem atrevia o topless e expunha o melhor das curvas femininas. As estrangeiras desculpadas, as nacionais prevaricadoras. Assim era um Portugal acanhado, subserviente do turismo externo. Tempo de um Algarve piroso que havia de lhe demolir a beleza natural. Salvo em redutos de eleição, a arquitectura não acautelou a costa sul. Tornou-se uma imensa Costa da Caparica cidade sem a largueza da Praia Morena ou do Waikiki. Copiou-lhe o pior: as filas de trânsito, o mau gosto ambiental.

 

Paris Hilton, na campanha para o champanhe alemão Rich Prosecco, apareceu de triquini. Body painting, dizem, já que nua sob o trompe l’oeil. Dourada como a embalagem do vinho. De novo, o falso pudor.

 

CAFÉ DA MANHÃ

 

Paris Hilton e Rich Prosecco

 

 

publicado por Maria Brojo às 00:05
link | Veneno ou Açúcar? | ver comentários (7) | favorito

últ. comentários

Olá Tudo bem?Faço votos JS
Vim aqui só pra comentar que o cara da imagem pare...
Olá Teresa: Fico contente com a tua correção "frei...
jotaeme desculpa a correcção, mas o rei freirático...
Lembrai os filhos do FUHRER, QUE NASCIAM NOS COLEG...
Esta narrativa, de contornos reais ou ficionais, t...
Olá!Como vai?Já passaram uns meses... sem saber de...
continuo a espera de voltar a ler-te
decidi ontem voltar a ser blogger, decidi voltar a...
Autor que não foi possível identificar: Andrew Atr...

Julho 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

pesquisa

links

arquivos

tags

todas as tags

subscrever feeds