Sábado, 22 de Outubro de 2011

SENHORA/PUTA

Al Moore

 

Há muito tomou assento no lugares-comuns sociais a ideal combinação senhora/puta, respeitados que sejam os locais convencionados: a primeira à mesa, a segunda na cama. Ora, este é conceito tacanho, remetendo para o tempo das delicadas essências senhoris por oposição ao fedor encorpado na meretriz de rua. Hoje, olfacto e visão falham como juízes quando damas de aluguer adoptam postura de senhora. Ou o contrário para as misteriosas "belle de jour".

As putas genuínas, as que no trottoir têm lugar marcado ou andante, perderam algum do exotismo que lhes adivinha da boçalidade dos gestos e excentricidade do visual. Lêem, por ora, revistas cor-de-rosa, copiam as calças, cabelo, postura e maquilhagem da Cinha Jardim. Quem as vir tomará como certo que os lusos supermercados do sexo não descuram embalagens ou certificações. Problema: como no demais que é nosso, atamanca-se o fundamental por ausência de fundos ou pachorra ou incapacidade e apura-se a caiadela que o velho fará luzir como novo. Um despacho.

 

Desde há séculos, a moral hipócrita transmitida de geração em geração maldizia os apetites sensuais e o gozo do corpo. Mais grave na tabela dos pecados se feminino. Meninas educadas para a modéstia, castidade até ao casamento e, daí em diante, sempre com o objectivo da procriação. Importante: não esquecer Ave-Maria antes, Pai Nosso depois ou qualquer reza equivalente. Como fosse imolação.

Voltando às putas senhoras e às senhoras putas. Mulher que é mulher não confundiu educação e diploma académico com peça de enxoval. Ginasticou o intelecto, apurou polimento sem esquecer regar a lascívia no íntimo jardim dos prazeres. «Putices» ou não. E quando mulher assim caminha, inebriada pelos sensuais apelos dos canteiros onde frui delícias, não cuida de dissecar com pinça e bisturi a proveniência dos desvelos sexuais a que se entrega. Ondulando no desejo, os suspiros e a fala dura nos tais momentos de ascensão directa aos céus, serão, classicamente, impulsos de rameiras? Inerentes à mulher via herança da mãe natura? Degenerescência civilizacional? Aprendidos na feitura de delicados bordados em ‘ponto pé de flor’ é que não.

 

Nota: devo aos colaboradores Veneno C., Acuçar C. e Cão do Nilo os três vídeos sobre o assassinato de Muammar Abu Minyar al-Gaddafi publicados hoje no 'Café da Manhã' de ontem.

 

CAFÉ DA MANHÃ

 

Sugestão de Veneno C.

 

publicado por Maria Brojo às 07:12
link | Veneno ou Açúcar? | ver comentários (14) | favorito

últ. comentários

Olá Tudo bem?Faço votos JS
Vim aqui só pra comentar que o cara da imagem pare...
Olá Teresa: Fico contente com a tua correção "frei...
jotaeme desculpa a correcção, mas o rei freirático...
Lembrai os filhos do FUHRER, QUE NASCIAM NOS COLEG...
Esta narrativa, de contornos reais ou ficionais, t...
Olá!Como vai?Já passaram uns meses... sem saber de...
continuo a espera de voltar a ler-te
decidi ontem voltar a ser blogger, decidi voltar a...
Autor que não foi possível identificar: Andrew Atr...

Julho 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

pesquisa

links

arquivos

tags

todas as tags

subscrever feeds