Quarta-feira, 18 de Junho de 2014

FELICIDADE EM CONSTRUÇÃO

 

Kathleen Scarboro – Sharing                                                                                          

 

Por onde andas que tão poucos te encontram? Que forma tens para muitos não te reconhecerem quando partilhas a casa que os abriga? Falasses, murmurasses ao ouvido “estou aqui, ao teu lado” e talvez te vislumbrassem. Talvez o olhar rodasse. Talvez lábios entreabertos num sorriso luzido. Talvez dias/tesouros. Talvez doenças se esvaíssem. Talvez o mundo girasse ao contrário por desse modo ser entendido.

 

Tantos te associam a haveres e a ausência de deveres. A desejos (ilusões?) satisfeitas no instante em que arribam. A lâmpada de Aladino sempre a brilhar. Mas, para isso, quem assim ideia a felicidade teria de ser distinto dos demais. Só o poucochinho dos seres faria deles espécie outra. Alojaria nas curvas cerebrais a convicção de privilegiados. Que muitos têm e não sabem. Porque vivem no negrume. Cega-os a desesperança metódica, implacável. Solidariedade como palavra vã – não lhes acresce bem-estar imediato; maçada que não apetece.

 

Dar de si o melhor em cada dia passado, é futuro prometedor. Entender que o lugar-comum “a saúde e os afetos são o que mais importa” é, afinal, verdade insofismável. Que família calorosa, que corpo sem células guerrilheiras e assassinas são bens que descontam achaques e miudezas. Porque ao chegar a tristeza, e chega sempre, a noção de felicidade séria não é mera panaceia. É remédio. Seca lágrimas, cura chagas da alma, dá sentido a um corpo mutilado, à sobrevivência quando paira a ameaça real de amanheceres precários.

 

CAFÉ DA MANHÃ

 

Afirma a pintora contemporânea Kathleen Scarboro: _ "A vida é magia, mas, frequentemente, esquecemos isso. Parece-nos repetitiva, vulgar quando é surpreendente e este mundo complexo. Não quero esquecer o mistério no centro de cada ser vivo. Adoraria redescobrir a vida cada manhã. É o que fazem as crianças e é razão de serem tão apelativas. O ideal seria combinar a frescura duma criança com o poder de ação de um adulto."

 

publicado por Maria Brojo às 07:52
link | Veneno ou Açúcar? | ver comentários (4) | favorito

últ. comentários

Olá Tudo bem?Faço votos JS
Vim aqui só pra comentar que o cara da imagem pare...
Olá Teresa: Fico contente com a tua correção "frei...
jotaeme desculpa a correcção, mas o rei freirático...
Lembrai os filhos do FUHRER, QUE NASCIAM NOS COLEG...
Esta narrativa, de contornos reais ou ficionais, t...
Olá!Como vai?Já passaram uns meses... sem saber de...
continuo a espera de voltar a ler-te
decidi ontem voltar a ser blogger, decidi voltar a...
Autor que não foi possível identificar: Andrew Atr...

Julho 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

pesquisa

links

arquivos

tags

todas as tags

subscrever feeds