Quarta-feira, 26 de Fevereiro de 2014

CESARIANA QUE TENHO PRESSA

 

 

  

Jan Esmann 

 

Pouco depois dos olhos piscarem decididos a abrirem-se para o dia, depois dos rituais básicos das manhãs, o comum: ligar a rádio e ouvir novidades matutinas raramente quentes e boas como castanhas saídas do assador.

 

Do que ouvi, além da mais sumarenta, quatro notícias merecem destaque :

- morreu Paco de Lucía, o génio musical e mestre da guitarra andaluza;

- pelo segundo ano consecutivo, anulada a Feira do Livro no Porto;

- as declarações do nosso seráfico Presidente em São Francisco perante assembleia de jovens portugueses altamente qualificados. Descreveu Portugal como oásis distante do negrume que a imprensa internacional soe relatar;

- o Parlamento Europeu discute criminalização e multas a que estão sujeitos clientes de prostitutas, agravadas as penas se as «meninas de aluguer» tiverem idade inferior a 21 anos. De imediato, estas e o sindicato a que pertencem rebelaram-se. Presumo que por estarem em jogo os respetivos proventos e o direito a disporem livremente do seu corpo.

A estas e outras lá irei em dias próximos.  

 

O relevo do acontecido em Portugal vai direto para um estudo de duas investigadoras da Universidade de Aveiro. Transcrevo a notícia da Agência Lusa, pela convicção de que se deixar com rédea solta a minha subjetividade desaparece a essência objetiva do assunto. E merece-a.

“Um estudo hoje divulgado conclui que o elevado número de cesarianas efetuado no serviço público de saúde deve-se ao facto de os hospitais não terem profissionais suficientes "para que haja tranquilidade" na hora de decidir.

O estudo sobre a realização de partos, elaborado pelo Departamento de Economia, Gestão e Engenharia Industrial (DEGEI) da Universidade de Aveiro, conclui que a preferência pela cesariana é tomada muitas vezes num contexto de cansaço por turnos prolongados e partos morosos.

"No setor público, os médicos ganham uma remuneração fixa, independentemente das consultas ou das cirurgias efetuadas. Assim, a preferência pela cesariana em detrimento do parto natural não se deve a questões económicas mas organizacionais. A opção pela cirurgia deve-se ao facto de os hospitais não terem profissionais suficientes para que haja tranquilidade na tomada da decisão mais apropriada", refere o estudo.”

 

Mais refere:

- por cada parto natural, um parto cirúrgico;

- aumento de 70% no número de cesarianas efetuadas no último ano;

- no privado, o número e substância dos exames requeridos durante mais consultas que o habitual no seguimento das grávidas, envolve proventos acrescidos para os médicos e para a instituição;

- ainda no privado, parto cirúrgico requer prolongar o internamento.

 

Repito: desde há alguns anos a esta parte, Portugal mais se afunda no rótulo de sítio mal frequentado.

 

CAFÉ DA MANHÃ

 

Nota: porque morreu Paco de Lucía, homenagem merecida.

 

publicado por Maria Brojo às 09:24
link | Veneno ou Açúcar? | favorito
Quinta-feira, 5 de Janeiro de 2012

JÁ RAUL SOLNADO DESMENTIA

Anne Bascove, Norman Rockwel

 

Se telefonema ou e-mail, supostos actos médicos, dirigido a um médico do Serviço Nacional da Saúde custa, agora, ao utente 3 euros – a suprema hierarquia acaba de desmentir, embora os factos provem o contrário - se as taxas moderadoras, a coberto de descongestionamento dos serviços hospitalares, passam a escandalosas por tanto pagar rico como pobre como soíam maus costumes, se a contenção dos gastos com Centros de Saúde obriga a fechar muitos das oito da noite em diante, se a Universidade Técnica de Lisboa baseada num questionário a dois mil e alguns dos seus licenciados, garante que no final do ano seguinte ao diploma 95% têm emprego embora com salários oscilando entre setecentos e mil e quinhentos euros após cinco anos de sacrifício no investimento das respectivas famílias cobrados sem piedade ou dó, se as desigualdades agravam injustiças sociais a cada dia passado, se bem fez a Jerónimo Martins ao procurar o fisco mais favorável na Holanda, se cada um de nós é espezinhado pelo «sistema» no quotidiano, se os Presidentes de Câmara e de Junta de Freguesia vêm limitados os mandatos enquanto na Assembleia da República somam e seguem até à choruda reforma pelos serviços prestados - presumidos bons, na verdade, genericamente medíocres -, se o trabalhador é humilhado pela negação de direitos elementares, se e se e se mais poderiam ser apontados, uma de duas: ou a nossa obediente atitude é devida a genes que a tradição inscreveu nos genes lusitanos, ou contra maluqueiras encolher ombros é sensato. Já no início dos setenta, Raul Solando desmentia.

 

CAFÉ DA MANHÃ

                                                                                                                          Para recordar e aliviar

publicado por Maria Brojo às 10:09
link | Veneno ou Açúcar? | ver comentários (4) | favorito

últ. comentários

Olá Tudo bem?Faço votos JS
Vim aqui só pra comentar que o cara da imagem pare...
Olá Teresa: Fico contente com a tua correção "frei...
jotaeme desculpa a correcção, mas o rei freirático...
Lembrai os filhos do FUHRER, QUE NASCIAM NOS COLEG...
Esta narrativa, de contornos reais ou ficionais, t...
Olá!Como vai?Já passaram uns meses... sem saber de...
continuo a espera de voltar a ler-te
decidi ontem voltar a ser blogger, decidi voltar a...
Autor que não foi possível identificar: Andrew Atr...

Julho 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

pesquisa

links

arquivos

tags

todas as tags

subscrever feeds