Segunda-feira, 13 de Outubro de 2014

ETERNIDADES

Manuela Pinheiro - Procurando Florbela Espanca.jpg

Manuela Pinheiro - Sob a linha D'água.jpg

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 Manuela Pinheiro – “Procurando Florbela Espanca”                                                                         Manuela Pinheiro – “Sob a linha D'Água”

 

Foi no teu olhar que encontrei sempre a minha âncora

mesmo quando foste tu a desencadear os vendavais

 

a minha barca quase se afundava...

 

coberta de ondas, tremia e depois se alevantava

mais forte, mais bela, mais segura

 

e quando fui eu que inventei as tempestades

e fiz tremer o casco dos navios

e fiz nascer a impensável escuridão

de rastos e olhar vazio

atravessei o nevoeiro

perdi a noção do norte e das estrelas

esqueci mesmo o bater do coração

à procura de um arco-íris

 

e de novo

o teu olhar

a eterna razão que me trazia à tona de água

 

nadei até ao cais

exausta, confusa, arrependida

seguindo o único farol que me traz de volta a casa

ilumina o resto do caminho

e continua a dar sentido à minha vida

 

Nota – Poema inspirador da talentosa e mui querida amiga “ERA UMA VEZ” publicado na “Coletânea de Poetas”.

 

CAFÉ DA MANHÃ

 

 

publicado por Maria Brojo às 11:33
link | Veneno ou Açúcar? | favorito

últ. comentários

Olá Tudo bem?Faço votos JS
Vim aqui só pra comentar que o cara da imagem pare...
Olá Teresa: Fico contente com a tua correção "frei...
jotaeme desculpa a correcção, mas o rei freirático...
Lembrai os filhos do FUHRER, QUE NASCIAM NOS COLEG...
Esta narrativa, de contornos reais ou ficionais, t...
Olá!Como vai?Já passaram uns meses... sem saber de...
continuo a espera de voltar a ler-te
decidi ontem voltar a ser blogger, decidi voltar a...
Autor que não foi possível identificar: Andrew Atr...

Julho 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

pesquisa

links

arquivos

tags

todas as tags

subscrever feeds