Sexta-feira, 17 de Dezembro de 2010

QUE SE «LICSEM»!

Robert Maguire, Shinji Himeno

 

Ocupa a cela que já pertenceu ao irlandês Oscar Wilde. Por ele, o lugar deveria ser convertido em lugar de religiosa visita. Em vez disso, aloja inquilinos esparsos. Gostou de mulheres, ao mesmo tempo ou após, de homens. E depois? Mau por isso? À época, era. Na gaiola empedrada protegida por grades, desvaneceu saúde e o que menos, ou talvez não, lhe importava: a reputação. Ali retido pelo pai poderoso do amante, Lorde qualquer coisa. Coitado! _ Devia julgar que tinha no palacete um herdeiro garanhão reprodutor e vê descendência por aquela via interrompida. Maçada que ao Lorde pai fez mover cordéis na justiça. Wilde fica preso, é liberto e obras com nível idêntico ao Retrato de Dorian Grey, nem vê-las. Do dândi restou um triste e desiludido. Ao tempo, já a Velha Inglaterra, no todo, era castrador lápis azul.

 

Interrompi a historieta para engendrar, vez primeira, uma coisa que se fuma. Por fora, papel de arroz – afirmam-no isento de químicos –, dentro, um filtro, folhas secas e moídas, marca Amsterdamer Fine Cut. Tem aspecto de «chiribiti» mal feito. Vantagens: é barato, sabe bem, dá um trabalhão a conseguir, desanima o fumar compulsivo, vai-se em quatro «inspiradelas». Só de pensar em enrolar outro, o desejo anula-se. Será que Oscar Wilde também enrolava outros vícios?

 

Inevitável trazer à colação o WikiLeaks e o detido Julian Assange na cela ex-pertença do Wilde, despromovida a ocupação por delator com pilhéria e oportuno. Basicamente, os ingleses são uns empata-«cuscos». Andávamos divertidos a espreitar fumos mentirosos de Senhores Mui Credíveis, e o juiz Duncan Ouseley dá-lhe ordem de soltura e isola o espreita fumegante numa residência com dezena de quartos inserida em dois mil e meio de metros quadrados, sem net, sem jornais, protegida até nos esquilos. Não está bem. Não gosto. Os suecos reclamam o australiano pelos crimes sexuais perpetrados lá na terra; porém, a Inglaterra persiste na tradição da Velha Albion de protagonismo e classe até se aplicam castigos.

 

Agora que a novela ia a meio, que os States asseguram pena de morte ao Julian, vêm uns desmancha-prazeres «licsar» o público. Malfeitoria – «rede» paga serve para, sem atraso, fruir as melhores das piores coscuvilhices.

 

CAFÉ DA MANHÃ

  

publicado por Maria Brojo às 08:25
link | Veneno ou Açúcar? | ver comentários (23) | favorito

últ. comentários

Olá Tudo bem?Faço votos JS
Vim aqui só pra comentar que o cara da imagem pare...
Olá Teresa: Fico contente com a tua correção "frei...
jotaeme desculpa a correcção, mas o rei freirático...
Lembrai os filhos do FUHRER, QUE NASCIAM NOS COLEG...
Esta narrativa, de contornos reais ou ficionais, t...
Olá!Como vai?Já passaram uns meses... sem saber de...
continuo a espera de voltar a ler-te
decidi ontem voltar a ser blogger, decidi voltar a...
Autor que não foi possível identificar: Andrew Atr...

Julho 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

pesquisa

links

arquivos

tags

todas as tags

subscrever feeds