Sábado, 23 de Fevereiro de 2013

O ELOGIO DA PREGUIÇA

 

 

Gustavo Fernandes – “Ampulheta”

 

Restam poucos que saibam preguiçar. A preguiça foi proscrita dos centros urbanos. Ido o tempo em que havia tempo para escutar as cigarras que teimo em ouvir. Nos dias que correm, inatividade é equivalente a morte social. Sofrer por uma carreira, transpirar no ginásio, almoçar em trabalho, encher a despensa, ver o último filme de que todos falam, ler o que acabou de sair, não ter tempo para amar, conduzir os miúdos ao colégio. Tudo para não esquecermos o mundo. Implacável, o mundo esquece quem somos.

 

Nota: publicado aqui.

 

CAFÉ DA MANHÃ

 

 
publicado por Maria Brojo às 12:12
link | Veneno ou Açúcar? | favorito

últ. comentários

Olá Tudo bem?Faço votos JS
Vim aqui só pra comentar que o cara da imagem pare...
Olá Teresa: Fico contente com a tua correção "frei...
jotaeme desculpa a correcção, mas o rei freirático...
Lembrai os filhos do FUHRER, QUE NASCIAM NOS COLEG...
Esta narrativa, de contornos reais ou ficionais, t...
Olá!Como vai?Já passaram uns meses... sem saber de...
continuo a espera de voltar a ler-te
decidi ontem voltar a ser blogger, decidi voltar a...
Autor que não foi possível identificar: Andrew Atr...

Julho 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

pesquisa

links

arquivos

tags

todas as tags

subscrever feeds