Quinta-feira, 8 de Janeiro de 2015

HOJE, AVIO ESTA; NA VOLTA, AQUELA

 

Autor que não foi possível identificar

 

 

Reconto dum conto meu

 

 

«Cowgirl» entre cowboys e damas respeitáveis pelo recato ou estatuto. Setenta anos atrás. Dolentes os dias acalorados na urbe pequena. Local: desertos texanos com esparsos bares, poker nas mesas, homens aventureiros com metralha no cinto; elas, decotadas, esperavam arremate no andar de cima ou no salão. Pedido da clientela a justificar sedução paga. Em madeira tabuada, «semi-porta» de empurro. Dentro a mulher como objeto de desejos precários e consumistas _ hoje, avio esta; na volta, aquela. Talvez ela. Ou não, que o nariz empinado rejeitava ordens e precisões avulsas. Mania. Regra e esquadro pessoal.

 

 

O dono/chulo/senhorio do bar vigiava-a de soslaio. Admitiu-a sem a provar pela diferença da candidata ao serviço: prometia na imagem, negava pelo estar. Valia pelo exotismo. Pelo toca-e-foge, vontade e manobra lucrativa. Dela. E safava-se de homens subidos ao quarto esconso. Nele, varandim debruçado sobre rua poeirenta.

 

 

Noite após noite, o mesmo. Mas eles bebiam na esperança de a terem nos lençóis finos de que só ela sabia - na admissão, devolvera os grosseiros que lhe afligiam a finura da pele. Para o "consome mais!" bastava o perfume, o olhar negro, o brilho da pele, os ombros desnudos, o roçar do cetim em folhos, a meia de rede preta vislumbrada no sabido sentar. Pé arqueado nos botins com presilhas e salto pequeno. E desconversava. E ria. Muito.

 

 

No faz-de-conta, vida. Durando o sol, costurava vestires ousados. Atravessada com pressa a rua fronteira, sombrinha aberta não corrompesse o sol a porcelana do rosto, pagava fitas e tules na retrosaria. Mais tarde, seduzia. Dinheiro entrado na caixa ruidosa sobre o balcão corrido na noite.

 

 

Ia ficando. Até um dia. Intocada até querer ou surgir o homem ideado.

 

 

Na diferença, banal.

 

 

Nota: texto publicado aqui e ali.

 

 

CAFÉ DA MANHÃ

 

 

publicado por Maria Brojo às 08:00
link | Veneno ou Açúcar? | favorito

últ. comentários

Olá Tudo bem?Faço votos JS
Vim aqui só pra comentar que o cara da imagem pare...
Olá Teresa: Fico contente com a tua correção "frei...
jotaeme desculpa a correcção, mas o rei freirático...
Lembrai os filhos do FUHRER, QUE NASCIAM NOS COLEG...
Esta narrativa, de contornos reais ou ficionais, t...
Olá!Como vai?Já passaram uns meses... sem saber de...
continuo a espera de voltar a ler-te
decidi ontem voltar a ser blogger, decidi voltar a...
Autor que não foi possível identificar: Andrew Atr...

Julho 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

pesquisa

links

arquivos

tags

todas as tags

subscrever feeds