Sexta-feira, 11 de Março de 2011

E FALOU NO PRIMEIRO DIA

Deborah Poynton, autor que não foi possível identificar

 

A necessidade de consolação existe em todos nós. Por maior que tenha sido o caminho num modo de estar objectivo e pragmático, restam sempre vestígios de tempos passados, de uma infância distante em que acordávamos sobressaltados e transidos de medo. Essa ânsia de acalmia, essa necessidade de uma presença maior e mais poderosa que esconjure o que nos incomoda, que escorrace o que nos magoa, permanece.

 

Todos queremos colo. Um colo doce, terno, enorme e seguro. Um colo cheiroso que nos abrigue de todas as intempéries. Ser ‘grande’ tem algumas das vantagens sonhadas na infância e adolescência, inconvenientes que não faziam parte da ilusão, entre os quais a falta de colo, a protecção doutros maiores e melhores. Descobrimos que no mundo dos ‘grandes’ que a consolação reside apenas e só naquilo que cada um é capaz de inventar como lenitivo. Muitos ocultam os lamentos da criança insegura arrecadada cá dentro. Mastigam-nos. E sem largarem a idealização do aconchego seguro e caloroso, refugiam-se nela, incapazes de afrontar os problemas do dia-a-dia.  

 

Se a orientação do discurso de tomada de posse do Presidente era apaziguar os sacrificados portugueses, mobilizá-los para dinamizarem esperança e reabilitação nacional também através de intervenções cívicas, falhou. As palavras apelaram à confrontação social, nomeadamente, juvenil. Discurso vazio no pendor cultural e humanista – meia dúzia de lugares-comuns por demais ouvidos doutros hipócritas que, sem nada terem feito ou fazerem para esbater desigualdades no povo, enchem a boca com elas.

 

Duvido se os ‘grandes’, que a tempo resolveram idealizações infantis, ao ouvirem o débito presidencial nele tenham encontrado razões positivas para riscarem do quotidiano o tecto da abulia/refúgio e a vontade de colo novo por cada um conquistado.

 

CAFÉ DA MANHÃ

 

Quanta diferença um dia faz!

 

publicado por Maria Brojo às 07:05
link | Veneno ou Açúcar? | ver comentários (18) | favorito

últ. comentários

Olá Tudo bem?Faço votos JS
Vim aqui só pra comentar que o cara da imagem pare...
Olá Teresa: Fico contente com a tua correção "frei...
jotaeme desculpa a correcção, mas o rei freirático...
Lembrai os filhos do FUHRER, QUE NASCIAM NOS COLEG...
Esta narrativa, de contornos reais ou ficionais, t...
Olá!Como vai?Já passaram uns meses... sem saber de...
continuo a espera de voltar a ler-te
decidi ontem voltar a ser blogger, decidi voltar a...
Autor que não foi possível identificar: Andrew Atr...

Julho 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

pesquisa

links

arquivos

tags

todas as tags

subscrever feeds