Quarta-feira, 22 de Setembro de 2010

AMARELOS AMIGOS

 

Bill Guffey

  

O amarelo da Carris barulha. Amotina calçadas. Chia ao guinar nas esquinas das ruas bordadas pelo basalto e calcário, mal enjorcadas na maioria - o Marquês não foi um Deus e o depressa e bem ficou aquém. Por ter ido a enterrar pomposamente, contava 83, num coche puxado por três parelhas, não consta dos feitos, além das reformas nacionais conhecidas nos anais históricos, ter apostado em deixar Lisboa como brinco de dama esbelta e curva no preciso. Não deve ter sido por tal falta que a sepultura foi profanada pelos franceses invasores, mas pelo uso de nada deixar direito quando um povo ajoelha ou afigura prestes a fazê-lo.

 

Nos eléctricos havia embalo, nos mais remotos havia varandins, em todos, cobrador que arrecadava o vil e dava o papel/bilhete. Em simultâneo, espantava os dependurados que, sem entrar ou andar, à borla progrediam na cidade. Acumulava com reconhecimento subtil do enxame de larápios, fossem ou não costumados. Para alguns olhar duro bastava - seguiam adiante sem concluir a empresa. Fossem dos peritos em artes múltiplas, incluindo navalha, o cobrador desandava como se fossem cónegos a caminho do Arcebispado.

 

Bem disse o António: ‘resplandecente é "curtir" o 28, ou outro do 5 eléctricos que restam a Lisboa cautela aos valores, claro está, pois toda a carteira tem o seu predador, por vezes tão sub-repticiamente que dá vontade de emoldurar o gesto técnico em programa televisivo de prognósticos pós-resultado, com 3 velhinhos a comentar os ditirambos tácticos da modalidade carteirística em que disputaríamos altos lugares no ranking se houvesse campeonato mundial’.

 

À direita Tejo, à esquerda Lisboa ribeirinha, sem pressa que atordoe as miradas, é delonga para sábado vazio nas vias apressadas da cidade. Por tudo, cito de novo o António: “mas ó espreitaide”. Acresço: _ e retomai o que foi e já não é, o que sendo já foi e é.

 

Depois desta viagem com o António, que desande de Paris o Manuel Maria Carrilho. Mais há para saber e pensar. Para gostar de amigas que amarelo reuniu.

 

CAFÉ DA MANHÃ

 

publicado por Maria Brojo às 07:30
link | Veneno ou Açúcar? | ver comentários (14) | favorito

últ. comentários

Olá Tudo bem?Faço votos JS
Vim aqui só pra comentar que o cara da imagem pare...
Olá Teresa: Fico contente com a tua correção "frei...
jotaeme desculpa a correcção, mas o rei freirático...
Lembrai os filhos do FUHRER, QUE NASCIAM NOS COLEG...
Esta narrativa, de contornos reais ou ficionais, t...
Olá!Como vai?Já passaram uns meses... sem saber de...
continuo a espera de voltar a ler-te
decidi ontem voltar a ser blogger, decidi voltar a...
Autor que não foi possível identificar: Andrew Atr...

Julho 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

pesquisa

links

arquivos

tags

todas as tags

subscrever feeds